ongrace.com

> Carta Viva

22/05/2012 - Não saia da Graça

“Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão. Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E, de novo, protesto a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a guardar toda lei. Separados estais de Cristo, vós os que justificais pela lei; da graça tendes caído. Porque nós, pelo espírito da fé, aguardamos a esperança da justiça. Porque, em Jesus Cristo, nem a circuncisão nem a incircuncisão têm virtude alguma, mas, sim, a fé que opera por caridade”. (Gl 5.1-6).

Com a queda de Adão, o Senhor Deus criou dois institutos para poder abençoara o homem: a Lei e a Graça. De início, Ele nos deu a Lei, que consistia de ordenanças e regulamentos. A Lei operava pela obediência. Era boa, mas, ao mesmo tempo, impossível de ser cumprida completamente. Aquele que não guardasse toda a Lei, tropeçando em um só ponto, ficaria em posição desconfortável e não alcançaria a promessa: Porque qualquer que guardar toda a lei e tropeçar em um só ponto tornou-se culpado de todos (Tg 2.10).

É claro que o Senhor não deu ao homem algo ruim. Naquela época, a Lei era o melhor que poderia ter sido dado. Na verdade, foi fornecida para conduzir-nos a Cristo: De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que, pela fé, fôssemos justificados (Gl 3.24).

Graça, um melhor instituto – Com a vinda do Senhor Jesus, um segundo e melhor instituto entrou em operação – a Graça. Ela é a Nova Aliança que foi realizada em melhores promessas: Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente quanto é mediador de um melhor concerto, que está confirmado em melhores promessas (Hb 8.6). A Graça ao contrário da Lei, não é operada pela obediência; ela é operada pela fé.

Como sabemos, a fé não é aquele desejo por certa bênção que, às vezes, surge nas pessoas, as quais fazem de tudo para conquistá-la. A Bíblia nos ensina o que é realmente a fé: Ora a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem (Hb11.1). O Senhor Deus concedeu a todas as pessoas uma certa medida de fé: Porque, pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um (Rm 12.3).

O perigo de voltar à Lei – Escrevendo ao gálatas, o apóstolo Paulo, demonstra muita preocupação com o perigo que nossos irmãos da Galácia estavam correndo. Esse mesmo perigo está bem presente em nossos dias: a confiança na Lei, travestida de práticas religiosas.

Naqueles dias, pessoas ligadas ao judaísmo ensinavam aos gálatas que eles deveriam praticar a circuncisão e, naturalmente, todas as demais exigências da religião judaica. O apóstolo Paulo, ao tomar conhecimento desse fato, escreve aos gálatas mostrando-lhes a insensatez de tal prática. Paulo chama a atenção deles severamente para o fato de terem começado pelo Espírito e estarem esforçando-se para terminar pela carne. O apóstolo, na sua Carta àqueles irmãos, no capítulo 3, adverte-os de forma áspera, chamando-os de insensatos: Ó insensatos gálatas! Quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade, a vós, perante os olhos de quem Jesus Cristo foi já representado como crucificado? (Gl 3.1).

No capítulo 5 da mesma Carta, o escritor sagrado começa advertindo os nossos irmãos a permanecerem firmes na liberdade: Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão (Gl 5.1). Competia a eles permanecerem na liberdade. Se passassem a observar os reclames da lei, eles ficariam sob o jugo da servidão. Essa mensagem é atual. Todas as pessoas que ouvem a Palavra de Deus e crêem nEla são colocadas sob a graça de Deus, na qual a fé é o único requisito para o poder de Deus operar.

No entanto, não são poucas as vozes que vivem pregando ser necessária certa dose de sacrifício para recebermos as bênçãos que já nos foram dadas gratuitamente no Amado. Esse tipo de pregação é muito perigoso, pois, aqueles que começam a praticar os rituais da obediência, não somente se colocam sob o jugo da servidão, mas também perdem o tratamento de filhos, passando à posição de servos, tornando-se inaproveitáveis na vida cristã: Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará (Gl 5.2).

O zelo do apóstolo pelos gálatas cresce de tal maneira que ele adverte ainda mais: E, de novo protesto a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído (Gl 5.3,4). O amado apóstolo revela que simples fato de obedecer a um “simples” preceito da Lei faz com que a pessoa seja obrigada a guardar toda a Lei. Essa obediência é mais profunda do que parece. Ela é uma opção que, inadvertidamente, a pessoa faz: ela deixa instituto da Graça e se imerge no instituto da Lei. E pior: por este “simples” ato, a pessoa se separa de Cristo. Eu faria qualquer coisa para nunca me separar do Senhor.

A revelação não pára por aí. Paulo, guiado pelo Santo Espírito, informa-nos no versículo 6 capítulo citado que em Cristo Jesus, só a fé possui virtude: Porque, em Jesus Cristo, nem a circuncisão nem a incircuncisão têm virtude alguma, mas, sim, a fé que opera por caridade (Gl 5.6). Se ele estivesse escrevendo nos dias de hoje, certamente que ele o faria do seguinte modo: “Porque, em Jesus Cristo, nem a religião nem sua ausência têm virtude alguma, mas, sim, a fé que opera pelo amor”.

Não saia da Graça – Na Lei, operava a obediência; na Graça, o que opera é a fé. Ela vem ao nosso coração quando ouvimos a Palavra de Deus. Ela afirma que todas as bênçãos de Deus têm, em Cristo Jesus, o sim. Com esta fé, não precisamos sacrificar-nos para ter vida abundante trazida pelo Senhor Jesus; mas, sim, determinar o que quisermos: E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho (Jo 14.13). Compete a você decidir se viverá na Graça, usando a sua fé, ou se voltará ao império da Lei, ao jugo da servidão, aos sacrifícios, às penitências e demais obras da carne.

Todos aqueles que vivem da fé vencem. Todos que vivem da Lei tropeçam. De que modo você viverá? Faça tudo para não cair da Graça, pois o outro instituto já provou ser insuficiente para justificar-nos diante de Deus. Quanto à Graça, a Palavra de Deus nos fala da sua importância: Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus (Ef 2.8).

Produtos que abençoam vidas!

Busca de produtos
Ongrace.com • O site do povo de Deus.