ongrace.com

> Mensagem de Hoje

29/08/2013 - COLOQUE AS CLÁUSULAS NO CONTRATO

  • Envie por Email
  • Imprimir
E votou um voto, dizendo: SENHOR dos Exércitos! Se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, mas à tua serva deres um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha. 1 Samuel 1.11


A cura da esterilidade de Ana não aconteceu em um passe de mágica. No versículo anterior ao que estamos estudando, ela orou com amargura de espírito. A exemplo dessa serva de Deus, dê a devida importância ao que lhe sucede, mesmo que seja uma aflição, pois o Senhor pode levá-lo a tal estado de alma para que você clame como deve. Desde que os seus passos estejam sendo dirigidos por Ele, não tente entender o que ocorre na caminhada.

Ana se abriu para o Altíssimo e, quando recebeu a visita dEle, chorou amargamente. Com isso, entendeu o que deveria fazer e pediu que, de modo bondoso e esperançoso, Deus olhasse para a sua angústia e Se lembrasse dela, dando-lhe um filho homem. Essa mulher colocou, no contrato, as cláusulas que achava necessárias, não se esquecendo de que tal acordo não deveria só beneficiá-la.

Essa serva prometeu que entregaria o filho ao Senhor por todos os dias da sua vida e não deixaria que sobre a cabeça dele passasse navalha – o voto do nazireado. Sem dúvida, ela soube ouvir o que Deus queria dela; por isso, foi curada e deu à luz Samuel. Ora, a oração sempre deve ser um diálogo, e o melhor clamor é aquele quando respondemos ao que o Altíssimo nos fala pela Sua Palavra. Essa é a oração da fé.

Não faça votos sem pensar, pois Deus os requererá de suas mãos. Sempre preste atenção às orientações que Ele lhe mostra por meio das Escrituras e, ao entendê-las, assuma de pronto o que lhe pertence. Com isso, você verá que as operações divinas são bem mais simples do que imagina. Não vá à igreja como se fosse fazer parte de um clube; vá para se encontrar com o Pai e O espere dizer o que deseja que você faça.

Um contrato é governado pelas cláusulas escritas nele, e a Nova Aliança funciona desse jeito. As que contêm a vontade divina já estão registradas; Deus não tem mais nada novo para colocar. Agora, a missão do Espírito Santo é revelar-nos o que o Senhor espera de nós e o que Ele prometeu fazer em nosso favor. As nossas condições devem ser escritas sobre o que o Santo Espírito nos leva a entender.

O Senhor ensinou que o nosso espírito está pronto, mas a natureza humana é fraca (Mt 26.41). Com o passar dos anos, muitos cristãos perdem a motivação para clamar a Deus, e, por causa disso, o inimigo os leva a perder o que já conquistaram. Por isso, esteja atento para entender, ouvir e ver o que é seu. Uma vez tendo aprendido, vigie para não perder o que lhe foi entregue. A seguir, ore para não entrar em tentação e o inimigo não tome o que o Altíssimo lhe concedeu.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

 

 

Deus amado! Ana soube colocar as cláusulas na Antiga Aliança e, desse modo, recebeu a virtude para ser mãe. Depois de ter a bênção, cumpriu o que prometera e não só se realizou como mulher, mas também viu o seu filho ser muito usado por Ti.    

A verdade é que nenhuma outra mulher precisa prometer a Ti o filho que deres a ela, a menos que isso seja Tua direção para ela. Como não há quem precise prometer a casa, o carro ou outro bem para ser abençoado, que todos saibam distinguir quando Tu diriges.

O mais importante agora é que deixemos o Teu Espírito nos ensinar a respeito do que nos pertence na Nova Aliança. Então, poderemos determinar a nossa bênção, exigindo que o inimigo pegue tudo o que é dele e saia completamente da nossa vida.

> Receba em seu e-mail

 

> Pedido de oração

Pedido de oração

> Missionário Responde

“Às vezes, aos domingos, preciso trabalhar, e acontece de não participar da Santa Ceia também. Minha comunhão com Deus pode ter sido afetada por esse motivo, ou a Santa...

O Senhor Jesus disse que quem não come de sua carne e nem bebe do seu sangue não tem vida em si mesmo (Jo 6.48-58). Ele também nos orientou a celebrarmos a Ceia sempre em...

»VEJA MAIS