11/08/2013 - NÃO SEJA APRESSADO AO DAR O PERDÃO

Olhai por vós mesmos. E, se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; e, se ele se arrepender, perdoa-lhe; e, se pecar contra ti sete vezes no dia e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo: Arrependo-me, perdoa-lhe.

Lucas 17.3,4

Não existe uma pessoa que não tenha pecado. É necessário que quem errou procure o ofendido e confesse sua ação, sem omitir nada. Os que não confessam em vida estão agindo como estúpidos, pois, naquele Dia, o que estiver escondido será mostrado. Como no Juízo não haverá arrependimento nem misericórdia, tampouco perdão, quem não tiver confessado seus pecados lá estará para ouvir sua triste sentença.

O ofendido tem a faculdade de perdoar ou não; porém, se não o fizer, não receberá o perdão do Pai celestial e, com isso, tornar-se-á réu do Juízo eterno. Quem se recusa a perdoar precisa considerar muito a palavra de Jesus nos versículos estudados, porque de vítima passa a ser réu. O assunto é tão sério, que os discípulos pediram que o Senhor lhes aumentasse a fé. Se você sofreu algum prejuízo, prepare-se para conceder o perdão quando for procurado.

A lição é clara: o ato de perdoar deve seguir ao arrependimento do ofensor. Não temos de sair por aí declarando que perdoamos a quem nos fez algum mal. Sabendo que é o Espírito Santo quem convence do pecado, se tomarmos a decisão antes de a obra ter sido feita pelo Senhor, atrapalharemos a operação divina. Ora, sem o Altíssimo nada podemos fazer (Jo 15.5b). Além disso, achando facilidade, muitos voltarão a transgredir.

Uma repreensão deve ser dada antes do arrependimento do ofensor. A pessoa que errou precisa sentir que o seu ato não foi bom, causou prejuízo e tem de ser reparado. Se este for reparável ou não, ela deve pedir que seja perdoada. Caso se arrependa, receberá o perdão. O indivíduo que não se deixar convencer que errou pelo Santo Espírito não se arrependerá e, por isso, não será contemplado com o perdão.

Não importa se o erro foi cometido uma ou sete vezes em um dia. Se, nas sete vezes, o ofensor vier arrependido, deve ser perdoado. Se vier somente em seis vezes e, na sétima, não procurar o ofendido, não receberá o perdão. Na primeira vez, ele deve ser exortado; nas outras, sendo admoestado ou não, tem de procurar o ofendido e fazer a confissão pedindo o perdão; pois, caso contrário, não será perdoado.

A pessoa que peca mostra-se insensata e, se não confessa e não pede perdão, demonstra ser mais insensata ainda. O orgulho de quem peca, ou a maldade, fará com que o seu destino seja o pior possível, pois não poderá estar junto com os que confessaram suas faltas e se emendaram. Sem perdão, a pessoa passará a eternidade longe de Deus.

É melhor procurar aquele que tem alguma coisa contra você e compor-se com ele; se não o fizer, o prejuízo será somente seu. O que Jesus nos revela é a Verdade e, por isso, quem não a conhecer não será liberto.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares