24/02/2017 - TROVÕES E CHUVAS

Então, invocou Samuel ao SENHOR, e o SENHOR deu trovões e chuva naquele dia; pelo que todo o povo temeu em grande maneira ao SENHOR e a Samuel.

1 Samuel 12.18

Quando o povo de Deus não vigia, o Senhor Se entristece. Nós sempre devemos ler as Escrituras, meditando no que nos salta aos olhos. De outra forma, não ouviremos a voz do Pai e, então, não entenderemos a vontade dEle. Prova disso se deu quando os israelitas pediram um rei, sendo Samuel o ungido do Senhor. Esse pedido não veio do coração do Altíssimo, por isso jamais deveria ter sido feito.

Por muito tempo, eles queriam ser como as demais nações, mas o Senhor tinha planejado que seriam diferentes. Porém, como insistiram, foram atendidos. No entanto, o Altíssimo lhes mostrou que estavam errados. É bom examinar as suas petições. Se estiver insistindo em algo que Deus não lhe prometeu, você entristecerá o coração dEle. Há pessoas que, se prosperarem, vão se perder para sempre. Compensa?

O que é melhor: passar pela vida em apertos e ganhar a salvação, ou ter abundância de bens e ter como destino o Inferno? Portanto, jamais se insurja contra as ordenanças celestiais; se fizer isso, você estará no que Kenneth E. Hagin chamou de vontade permissiva de Deus, na qual Ele não terá responsabilidade com o que lhe acontecer. É bom permanecer na vontade real, na qual o Senhor Se esmera em protegê-lo de todas as investidas malignas. Aleluia!

Era tempo de colher o trigo quando não chovia em Israel. Samuel convocou as pessoas e lhes disse o quanto Deus estava desgostoso com elas. Ele as lembrou do que o Senhor havia dito sobre a Sua negativa de terem um rei. Então, avisou-lhes que, apesar de nunca chover naquele tempo, invocaria o Senhor para enviar uma forte chuva. Assim, elas saberiam que haviam magoado a Quem deveriam obedecer, louvar e respeitar.

Embora os israelitas tivessem agido por conta própria, desprezando o desejo do Altíssimo de sempre reinar sobre eles, o profeta mostrou que Deus é tão bom, que não deixaria de atendê-los em suas necessidades, desde que O temessem e Lhe servissem, dando ouvidos à Sua voz e não sendo rebeldes às Suas decisões – tanto eles quanto o rei que, agora, comandava a nação. O Senhor é bom!

Para saberem que a maldade deles era grande, Samuel lhes avisou que clamaria ao Senhor, e este mandaria uma chuva pesada. Por certo, aquela palavra parecia esquisita aos olhos deles, pois chuva, naqueles dias, era improvável. No entanto, quando o profeta invocou a Deus, Ele respondeu com trovões e chuva. Logo, o povo temeu o Senhor e Samuel. O prejuízo deles deve ter sido imenso, vendo a lavoura de trigo se perder.

Fica, para nós, a seguinte lição: jamais devemos pedir algo fora da vontade de Deus; sendo Ele onisciente, sabe o que é melhor para nós. Quem se deixa levar por suas razões e faz o que é do seu agrado descobrirá que agiu errado. Mas, muitas vezes, a descoberta vem tarde. O prejuízo da perda de parte da lavoura de trigo era o início de muitos que teriam.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares