28/08/2017 - UM ÚNICO FUNDAMENTO

Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. 

1 Coríntios 3.11

Tudo o que existe no mundo material e espiritual foi criado pelo Filho de Deus. Ele é Deus com o Pai; por isso, do nada trouxe à luz todas as coisas. Sem o Senhor, nada existiria; portanto, Ele é o Fundamento da criação, a qual subsiste por Ele (Rm 11.36). Se pensarmos na possibilidade de haver outro fundamento, erraremos completamente. Deixar de reconhecer a existência de Deus é o cúmulo da insensatez.

Hoje, vivendo na carne, com todas as nossas limitações, é impossível conhecermos o Senhor como dEle somos conhecidos. Isso só será viável pela graça e misericórdia divinas. Porém, quando Jesus vier nos buscar, já ao lado dEle, teremos permissão para sabermos quem é Ele como Ele sabe quem somos. Imagine o prejuízo dos não salvos – rebeldes – por toda a eternidade!

As orientações do Senhor nas Escrituras são verdadeiras e devem ser aceitas. De outro modo, andaremos em trevas. Ao dar início à criação, Ele fez conforme Sua capacidade, a qual é completa em todos os sentidos. O Altíssimo nos concedeu a Sua Palavra, chamando-a de Verdade. O Filho é essa parte de Deus, que Se tornou nosso Fundamento. Cristo é como uma âncora segura, que nunca nos deixa à deriva.

O registro da queda do homem no Éden merece respeito em seus mínimos detalhes. Os acontecimentos narrados nas Escrituras são reais. Segundo eles, o homem já nasce separado do Criador. Não temos mais necessidade de ficar culpando Adão pelo desastre sofrido pela humanidade, porque Jesus veio como o segundo Adão e não fracassou em Sua missão. Ele cumpriu a exigência da justiça divina e nos libertou da queda e de seus efeitos. Aleluia!

Assim, ao crermos em Jesus como nosso Substituto e Salvador, temos a remissão de nossos pecados. Então, o nosso espírito passa por um processo de recriação no qual nos tornamos novas criaturas. As coisas velhas passam, e tudo se faz novo para nós (2 Co 5.17). A partir de então, basta pautarmos as nossas decisões pelo que diz a Palavra de Deus, uma vez que fomos justificados em Cristo. No entanto, é preciso aceitá-Lo como nosso Redentor.

Mediante a salvação, recebemos o título de filhos de Deus, e isso significa estarmos unidos a Ele agora e para sempre. Nada mais pode nos separar do amor de Deus, que está no Filho, e podemos chamá-Lo de Pai (Rm 8.39). Como novas criaturas, desaparece o sentimento de indignidade que ainda existe em quem não ouviu a Boa Notícia do que foi feito pelo ser humano. Então, por não acreditar no que o Senhor fala, tal pessoa não é salva.

Ao entendermos a realidade da perdição do homem sem Jesus e cremos em Cristo como Salvador e Senhor, passamos da morte – a natureza de Satanás – para a vida (Jo 5.24). Então, guardando a Palavra, nunca mais veremos a morte. O Salvador é o Alicerce da nossa fé, a qual nos garante a vitória. A Ele seja toda a glória!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares