15/09/2018 - SANTIFICADOS NA VONTADE REAL DE DEUS

Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez.

Hebreus 10.10

Deus sabia da destruição ocasionada pelo pecado no meio da humanidade, principalmente na vida dos israelitas, o Seu povo. Em virtude disso, na chamada Lei de Moisés, o Senhor estabeleceu o derramamento de sangue de animais, para que aquele povo, o qual deveria ser santo, não fosse destruído ao se aproximar dEle. No entanto, isso não seria definitivo, porque o sangue de animais não poderia livrar o homem da ira vindoura. Então, o plano final entrou em ação!

Com a aproximação da plenitude dos tempos, Deus enviou Seu Filho, mas não se sabe ao certo quando os sacerdotes judaicos deixaram de imolar animais, embora fosse da vontade do Pai que o povo se santificasse de verdade por meio da oferta do Corpo de Cristo. Isso ocorreu na cruz do Calvário, quando se deu a santificação real e definitiva a quem aceitar o Salvador em sua vida. Essa obra maravilhosa está disponível a todos.

O desejo do Altíssimo se realizou na cruz, quando Jesus derramou até a última gota de Seu sangue e, de uma vez por todas, deu fim à separação entre o Criador e o homem. Agora, basta entender o que foi realizado em seu favor e assumir o seu lugar em Cristo. Hoje, quem nasce de novo pode e deve se considerar santificado por essa oferta gloriosa feita pelo Salvador. Aleluia!

Nos dias da Lei, todo sacerdote aparecia diariamente para oferecer os mesmos sacrifícios, os quais só cobriam os pecados. Hoje, isso não é necessário, além de ser repugnante aos olhos de Deus. João Batista estava com dois de seus discípulos e, ao ver o Mestre passar, disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo (Jo 1.29). Ele já tirou o pecado de todos, mas isso passa a ser real quando a pessoa O recebe como seu Salvador.

Muitas pessoas têm acesso à informação do que representa a morte de Cristo em Jerusalém, mas não O aceitam como Salvador. Tristemente, temos de reconhecer: várias continuarão em seus pecados, marchando para o suplício, por não darem crédito à obra realizada pelo Filho de Deus, a fim de lhes dar a felicidade permanente. Por que alguém age desse modo? Essa é a pergunta que parece não ter resposta.

Outros, porém, como disse Jesus, virão do Oriente e do Ocidente e irão assentar-se à mesa com os patriarcas, enquanto os filhos do Reino serão lançados fora (Mt 8.11). Devemos lutar para informar às pessoas sobre o que foi feito em prol de todos na cruz, pois quem não invocar o Nome do Senhor não será salvo (At 2.21). Que prejuízo ocorrerá a quem desprezar o dom gratuito de Deus. Temos de pregar as Boas-Novas!

E você, já está salvo? Entregou a sua vida a Jesus e vive segundo as condições exigidas pela Palavra? Tem perseverado em seguir o Senhor ou abandonou o dom da salvação, trocando-o por migalhas de prazeres ilícitos e outras coisas? Cuide-se!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares