11/09/2019 - QUE PREGUES A PALAVRA!

Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. 

2 Timóteo 4.2

O apóstolo Paulo colocou o jovem Timóteo sob o compromisso de pregar o Evangelho, pois sabia da comissão dada aos salvos: levar as Boas-Novas a toda criatura (Mc 16.15). Muitos dizem não entender o Senhor, porque, embora sejamos falhos, Ele nos comissionou a levar a mensagem da salvação aos perdidos. Essa tarefa está em nossas mãos, e isso é mais sério do que pensamos.

No versículo 1, Paulo salienta que essa convocação era feita diante de Quem haverá de julgar os vivos e os mortos. Quando entendemos a nossa responsabilidade, sentimos a incapacidade de cumprir tal missão. Nessa hora, trememos e confessamos que, sem a ajuda do Santo Espírito, isso é impossível. Como teremos de dar conta dos que precisavam ser alcançados e não o foram, nós nos calamos em agonia.

O julgamento final não acontece a cada mês, mas se dará na volta de Cristo. Não dá para brincar de fazermos a obra, achando que a executaremos se quisermos. É uma obrigação que pesa sobre nós. Ai daqueles que deixarem de cumprir a parte que lhes cabe. Depois, serão questionados sobre a razão de não terem feito mais para libertar os cativos.

A ordem é pregar a Palavra a quem vive distante da Verdade e, por isso, não serve a Deus. Anunciar o Evangelho é a solução dos problemas da humanidade. Ao ouvirem a voz do Senhor, todos entenderão que Jesus é, de fato, o Salvador do mundo. Eles saberão que o Filho de Deus é Maravilhoso e agirão de modo certo, porque Ele os conduzirá.

Insistir em falar dos fatos passados e dos que sucederão em pouco tempo fará os perdidos sentirem a necessidade de se converter e se acertar com o Senhor. Alguns não farão isso rapidamente, pois se sentem bem na vida pecaminosa. Por isso, precisamos insistir em lhes ensinar a Palavra. A pior coisa é ver que uma pessoa está prestes a tomar a decisão e saber que ela morreu antes de ter sido salva.

Deus nos dará a capacidade de responder às perguntas dos ímpios, fazendo-os raciocinar. Existem casos nos quais será necessário repreendê-los, então só com a ajuda divina teremos êxito nessa tarefa. Temos de exortar, pois os dias são maus e passam rapidamente. Não podemos cruzar os braços e descansar, porque Jesus voltará sem aviso e não haverá tempo para arrependimento.

Sabendo que o nosso ministério deve conter esses detalhes, devemos agir logo, porque nos resta pouco tempo. Pelo fato de Deus ser longânime – ter uma esperança bondosa, ou a bondade esperançosa –, está movendo milhões dos Seus filhos a irem pelo mundo a fim de propagar o Evangelho. Todos precisam conhecer a Palavra!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares