ongrace.com

> Mensagem de Hoje

10/09/2016 - A REVOLTA DE ESAÚ

  • Envie por Email
  • Imprimir
Então, disse ele: Não foi o seu nome justamente chamado Jacó? Por isso, que já duas vezes me enganou: a minha primogenitura me tomou e eis que agora me tomou a minha bênção. E disse mais: Não reservaste, pois, para mim bênção alguma?   Gênesis 27.36


Esaú teria de aprender a não desprezar o que o Senhor concede e a buscar, cada vez mais, a direção divina. Ao agir desse modo, a bênção seria confirmada e entendida na sua extensão. Ele não foi forçado a vender o seu direito e, ainda que o preço tenha sido pequeno, o negócio fora feito e, por isso, tinha de se conformar. Quem serve a Deus, mesmo arcando com o prejuízo, precisa honrar sua palavra em uma negociação; porém, a atitude do irmão de Jacó foi de desprezo pela verdade.

Esaú desdenhou o valor do estatuto da primogenitura, ao vender seu direito por um prato de lentilhas. Esse foi o preço que achou justo e, se tivesse sido uma montanha de ouro, ele teria feito a mesma coisa. Esaú deveria ter reconhecido que Jacó foi justo. Ao barganhar sua bênção, o filho preferido de Isaque assegurou a Jacó o poder de lutar para preservá-la e ganhar todas as dádivas inerentes ao direito adquirido. É errado empenhar a palavra e, depois, não querer cumpri-la.

Ninguém tem de se gabar do que recebeu, porque, se não vigiar, outro poderá tomar sua coroa (Ap 3.11). Outro fato de suma importância é que quem não age em conformidade com a Palavra se desclassifica diante do Senhor. Os dons de Deus são irrevogáveis, mas a Sua obra não deve sofrer dano por causa de um desperdiçador. Vigie e ore sempre sobre as bênçãos recebidas, a fim de entender o propósito delas e mantê-las em sua posse. No caso de Esaú, a revolta dele era injusta.

Quando o dia chegou para Isaque transferir a bênção de Abraão, Jacó ficou receoso; o assunto era muito delicado. Ele havia nascido com a mão no calcanhar do irmão, por isso lhe deram o nome de Jacó – suplantador –, mas o temor de Deus em seu coração o fez tremer e foi preciso que sua mãe o animasse. Na atitude de Rebeca, temos um exemplo do que o Espírito Santo faz conosco, pois, diante das oportunidades, costumamos vacilar, mas o Senhor nos anima!

Quem toma as palavras de Esaú como verdadeiras deveria meditar e não fazer mais isso, pois ele era profano, homem sem temor. O próprio pai não declarou que Jacó havia roubado o direito do irmão, mas que este agira com sutileza. Penso que até Esaú fez tal afirmação em um momento de raiva, mas, depois de algum tempo, deve ter chegado a uma conclusão diferente. Muitos anos depois do ocorrido, ao se encontrar com Jacó, chorou abraçado ao irmão. Jamais condene um servo de Deus.

Na verdade, não é bom condenar ninguém, porque, conforme Jesus declarou, por tuas palavras serás justificado e por tuas palavras serás condenado (Mt 12.37). Além disso, não se deve julgar para não ser julgado (Mt 7.1), e sim abençoar para ser abençoado. Tudo o que o Senhor diz tem de ser observado, porque é verdade e jamais nos trará maldição; pelo contrário, irá nos proteger das ações do inimigo. No caso de Esaú e Jacó, se Deus afirmou que o maior serviria ao menor, quem poderia falar diferente? 

Examine tudo o que o Senhor lhe tem falado, pois são decretos proferidos a seu respeito. Prepare-se para se apresentar a Ele como obreiro aprovado, o qual jamais se envergonhará (2 Tm 2.15). O que Ele disse a respeito de Jacó, antes de ele nascer, se cumpriu. O mesmo ocorrerá na sua vida! Creia!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

 

 

Pai! Temos estudado a vida de Esaú e Jacó. Por meio da Tua Palavra, vemos que Esaú puxou Jacó ainda no ventre materno e saiu primeiro. Tu és justo e não aprovaste isso. No entanto, depois, de modo sábio, Jacó comprou o direito o qual lhe fora tirado.

Que todo aquele que foi preterido em alguma coisa ou roubado em algo seja reconhecido como vencedor na demanda da fé! Embora não saiba como recuperar seu dano, seja abençoado e honrado por Ti. 

Tu és verdadeiro e justo, por isso esperamos pelo Teu agir. Veja, na Tua obra, o que se faz necessário, a fim de que a injustiça não prevaleça, a mentira não se perpetue, mas o Teu Reino seja verdadeiramente engrandecido. Em Teu Nome, repreendemos todo o mal. Amém!

> Receba em seu e-mail

 

> Pedido de oração

Pedido de oração

> Missionário Responde

A passagem que tá no cap 11 de Daniel,eu leio e releio...Não consigo entender nada...Mesmo tendo lido o livro todo de Daniel.Gostaria,de um esclarecimento espiritual segundo...

Este capítulo faz parte das revelações que o Senhor Deus deu a Daniel sobre o que aconteceria ao povo de Israel a partir do cativeiro babilônico, até o advento do...

»VEJA MAIS