ongrace.com

> Mensagem de Hoje

24/09/2017 - A VOZ DO MUNDO

  • Envie por Email
  • Imprimir
E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo e a nós.  Lucas 23.39


Muitas vozes nos chamam para atendermos aos seus desejos, pronunciarmos o que não serve ou praticarmos o que é proibido. A escolha é de cada um, segundo o seu temor ao Senhor. O diabo pode tentar você de modos imundos, desonestos ou fazê-lo sentir-se diferente e mais poderoso do que qualquer pessoa. Porém, se você for de Deus, não se deixará levar por nenhuma tentação. Você só se torna pecador ao assumi-la, seja ela qual for.

Na morte de Jesus, vemos o quanto o diabo tentou as pessoas, mas muitas foram assistidas pelo Espírito de Deus. Se obedecermos ao toque celestial, jamais cairemos em transgressão. Sabemos que ser tentado não significa que erramos, mas, se aceitarmos a oferta do inimigo, sim. Os príncipes de Israel poderiam ter mudado o destino eterno deles diante de Jesus na cruz, porém preferiram ouvir o diabo e desafiar o Salvador. O resultado foi a ruína deles.

Quando levaram Cristo ao Calvário para ser crucificado, havia também dois malfeitores. Chegando ao lugar chamado Caveira, Jesus foi crucificado junto com eles. No momento em que era pregado no madeiro, o Senhor orou: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem (Lc 23.34), referindo-se a quem ali se encontrava. Ao ouvirem isso, os outros dois poderiam ser salvos ou não. Tudo ia depender da atitude deles.

Como sempre acontece, o povo só olhava, mas os príncipes israelitas zombavam de Jesus, dizendo que Ele havia salvado outros, porém não podia Se salvar. O diabo tentou-os a fim de levar Cristo a fazer algo para provar quem era. Os soldados romanos O imitavam, escarnecendo dEle. Além disso, ofereceram-Lhe vinagre, dizendo: Se tu és o Rei dos judeus, salva-te a ti mesmo (v. 37). Os perdidos repetem o que o inimigo quer, pois este é quem fala por intermédio deles.

Naquela hora, quando o Salvador agonizava na cruz, o Espírito de Deus agia nos corações. Um dos malfeitores preferiu juntar-se aos zombadores, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo e a nós (v. 39). A oração do deboche, da incredulidade, a qual não é feita em resposta ao que Deus diz ao coração de quem a faz não é respondida. Todos entendem se algo vem dEle e, se tiverem um bom coração, irão assumi-lo.

O outro malfeitor aceitou o toque divino e repreendeu o seu colega de erro: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? (v. 40). O ladrão arrependido confessou que eles mereciam tal tratamento, mas Jesus nenhum mal havia feito (v. 41). Esse homem não só reconheceu Quem era Jesus, mas também orou com sinceridade, pedindo que Ele Se lembrasse dele ao entrar no Reino de Deus (v. 42). Por certo, ele conhecia a Palavra, mas, em algum momento da vida, dera ouvidos ao diabo e pecara, porém pediu a salvação.

Está provado que o Senhor é sensível ao ouvir um pedido de misericórdia feito por alguém sincero. Era tudo de que Jesus precisava para salvar mais um perdido em Sua última hora aqui na Terra. Cristo disse que, naquele mesmo dia, aquele homem estaria no Paraíso com Ele (v. 43). O Pai tinha ouvido Seu Filho em Seu pedido: que perdoasse seus algozes, pois não sabiam o que faziam.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

 

 

Pai misericordioso! Mesmo em meio ao tumulto que tomou conta de Jerusalém, Tu agiste com sabedoria e levaste mais um à salvação. A oração do Teu Filho foi ouvida e, então, o perdão foi estendido a todos. Não sabemos quantos depois aceitaram o Teu perdão.

Coitados dos príncipes de Israel, que preferiram ouvir o que diziam de Jesus a aceitar o Teu testemunho. Assim também fizeram os soldados. Porém, cremos que muitos se achegaram a Ti naquele dia, confessando seus erros e sendo salvos. Tu és fiel e perdoador!

Pobre do malfeitor que preferiu se juntar aos perdidos e morreu sem ter o Teu perdão. Certamente, isso Te entristeceu. Olha para os meus leitores que conhecem a Verdade, mas não a seguem. Que todos se convertam e se salvem. Amém!

> Receba em seu e-mail

 

> Pedido de oração

Pedido de oração