ongrace.com

> Mensagem de Hoje

25/10/2019 - ATÉ ONDE CHEGAM OS PERDIDOS

  • Envie por Email
  • Imprimir
Como, vendo isso, te perdoaria? Teus filhos me deixam a mim e juram pelos que não são deuses; depois de os eu ter fartado, adulteraram e em casa de meretrizes se ajuntaram em bandos. Jeremias 5.7


Deve ser muito ruim para alguém acreditar na possibilidade de o Senhor não lhe perdoar. A nação de Judá sofreria pela maldade de seus filhos, os quais haviam deixado o Todo-Poderoso. A apostasia premeditada ou a que surge por acaso dá o mesmo resultado, pois quem se aparta de Deus se aparta da vida e, com isso, é oprimido pelas forças do reino da morte. Era triste a situação deles.

Enquanto o Senhor estiver nos repreendendo e convidando a voltarmos para Ele, é como se Ele ainda não tivesse levado em conta o nosso pecado. Como é paciente, Deus espera que as pessoas saiam do erro e voltem para o caminho do bem. No entanto, com o passar dos dias, se o homem endurece seu coração e permanece na iniquidade, sem qualquer desejo de se arrepender, ele deixa de ser considerado alguém que pode voltar a Deus. Então, como pode ser perdoado se escolheu o mau caminho?

Os habitantes de Judá se corromperam completamente. Para eles, era comum invocar o mal, porque lhes trazia resultados “satisfatórios”. Ora, por trás dessas coisas “boas”, havia a estratégia infernal para lhes dar fim, mas isso eles não percebiam. Agora, o Senhor sabia que eles seriam levados à Babilônia e lá serviriam como escravos. 

Ao jurar pelos falsos deuses, eles se entregavam aos espíritos do mal que, por certo, cobrariam pelo “favor”. Isso também ocorre nos dias de hoje, quando as pessoas recorrem a entidades de algum panteão religioso e sofrem as consequências dessa escolha. Tais seres espirituais servem a Satanás, que é mau em tudo e pode destruir a vida de quem o busca.

Deus honrava o prometido; afinal, a terra deles manava leite e mel (Êx 3.8). Entretanto, eles creditavam essa prosperidade aos falsos deuses, desprezando o que lhes fora feito durante séculos. Como um erro chama outro, eles se entregaram a todo o tipo de espírito maligno. Entenda: só o Senhor deve ser procurado e apenas nEle devemos crer. Deus é amor!

Judá estava repleta de casas de prostituição, as quais surgiam rapidamente e eram frequentadas por homens solteiros ou casados, a fim de satisfazer a sua lascívia. Isso era terrível para o Senhor, que havia levado os pais daquela geração a uma terra de prosperidade e deixado estatutos a serem conhecidos e honrados por todos. Quando o homem é fascinado por dinheiro, comete os pecados mais sujos e, com isso, vem o declínio espiritual. Em breve, eles pagariam a conta.

Talvez, no meio de tanta promiscuidade, aqueles pecadores nem achassem que estavam equivocados. Eles não se lembraram da situação de Baal-Peor, na qual Moisés teve de agir rapidamente, senão as moabitas os teriam destruído (leia Números 25).

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

 

 

Deus! O homem ainda não entendeu que a vinda do erro traz a fome, a peste e a violência. Judá estava marcada para ir ao cativeiro, porque o povo Te desprezou e procurou saciar a volúpia onde o diabo os esperava. Misericórdia aos infiéis!

Tu não podias lhes perdoar, pois eles não queriam se arrepender e deixar aquela vida. Quando alguém, mesmo advertido, teima em desobedecer à Tua Palavra, Tu não podes agir. Nossa maior falha é não darmos atenção às Tuas advertências. 

Suplicamos pelo Teu perdão e buscamos a Tua face. Confessamos que temos agido como esses irresponsáveis do passado. O que nos diferencia deles é o nosso arrependimento pelas transgressões cometidas por nós.

> Receba em seu e-mail

 

> Pedido de oração

Pedido de oração

> Missionário Responde

Minha dúvida é se alguém que não consegue se libertar de uma prisão, como por exemplo a bebida ou a timidez, mas aceita Jesus como Senhor e Salvador, consegue ser salva?...

O Senhor Jesus declarou: "Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres". E disse também: "Conhecereis a verdade e ela vos libertará." Será que Ele mentiu? Ou...

»VEJA MAIS