ongrace.com

> Mensagem de Hoje

02/05/2010 - FATOS INEXPLICÁVEIS

  • Envie por Email
  • Imprimir



“E sucedeu que, nos dias em que os juízes julgavam, houve uma fome na terra; pelo que um homem de Belém de Judá saiu a peregrinar nos campos de Moabe, ele, e sua mulher, e seus dois filhos” (Rute 1.1).

Nos tempos bíblicos, os juízes eram levantados com a permissão de Deus para que governassem um povo, e a paz e a justiça imperassem naquela região. Mesmo assim, certa vez, houve fome em Belém, e muitos precisaram partir para Moabe, em busca de uma vida melhor. No entanto, os campos moabitas eram traiçoeiros.

O Senhor não queria que os israelitas tivessem reis. Mas, em tempos de crise, quando os filhos de Israel clamavam ao Altíssimo, Ele levantava juízes para julgá-los. Depois do livramento, o libertador assumia essa função e, até morrer, fazia a paz reinar em Israel. Durante o período em que o juiz comandava uma nação, a terra prosperava e mantinha-se tranquila. No entanto, quando o governante morria, o povo voltava a fazer o que era mau aos olhos do Senhor, e, consequentemente, sobrevinha-lhe a opressão – até que a nação se lembrasse do Altíssimo e, mais uma vez, implorasse livramento. Então, Deus a ouvia e levantava alguém para libertá-la e julgá-la. 

Aqueles servos de Deus foram de uma importância grandiosa para os israelitas, pois, enquanto exerciam sua missão, havia paz e justiça na terra. De fato, naqueles dias, o temor divino dependia de alguém com punho firme para comandar o povo. Hoje, isso também pode acontecer, mas não é o ideal. Quando, por exemplo, o chefe de uma família controla com rigor o lar e determina que os demais membros busquem o Pai, no momento em que ele morre, ou alguns dos familiares se mudam para uma região longe do governo patriarcal, é muito provável que estes logo se desviem. Porém, se fizermos as pessoas conhecerem o Evangelho, não teremos esse tipo de problema.

Mesmo quando os juízes agradavam ao Altíssimo, houve épocas em que a fome e outros infortúnios vinham sobre Seu povo. Hoje, se não vigiarmos, ainda que estejamos debaixo da autoridade de um grande homem de Deus, podem vir sobre nós as mais diversas aflições.

Com a fome, a família de Elimeleque deixou Belém, cujo nome significa casa de pão. Então, em busca de uma vida melhor, partiu para a terra dos moabitas – povo que só veio a existir por causa do incesto entre Ló e suas duas filhas, as quais o embebedaram e o levaram a se deitar com cada uma delas, para conservarem a descendência paterna (Gênesis 19.30-38).

Ora, no campo dos pecadores não se encontra nada de bom, a não ser sofrimento, pois, naquele lugar, o inimigo age livremente. Meu irmão, podemos – e devemos – ir lá para levar o Alimento aos famintos, não para buscar alguma coisa boa. Noemi, a esposa de Elimeleque, viu seu marido e seus dois filhos morrerem. Isso nos mostra que nunca devemos buscar ajuda onde o Nome do Senhor não é glorificado, pois o preço poderá ser alto!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

 

> Receba em seu e-mail

 

> Pedido de oração

Pedido de oração