ongrace.com

> Mensagem de Hoje

13/03/2014 - O QUE DEUS NÃO SUPORTA

  • Envie por Email
  • Imprimir
Não tragais mais ofertas debalde; o incenso é para mim abominação, e também as Festas da Lua Nova, e os sábados, e a convocação das congregações; não posso suportar iniquidade, nem mesmo o ajuntamento solene. Isaías 1.13


A mudança de propósito nas ofertas, as quais deviam ser entregues por orientação do Senhor, fez com que Ele proibisse tal prática, porque a intenção dos ofertantes não era mais Lhe agradar, mas enganá-Lo, pois eles as levavam com o coração cheio de pecado. Por esse motivo, Deus disse que não suportava mais a iniquidade deles nem mesmo o ajuntamento solene. Será que não temos feito o mesmo hoje? O que o Altíssimo diria das suas “doações”?

Deus não permite que Lhe seja oferecido algo inútil, como costumes religiosos ou tudo o que o coração do ofertante determina, pois o Pai celeste declara, nas Escrituras, que o coração humano é corrupto e, por isso, não Lhe pode trazer contentamento.  O Senhor espera que confessemos a Ele, rasgando as “nossas vestes”, o que se passa dentro de nós, pois, somente quando formos sinceros diante do altar, Ele nos aceitará.

O incenso era um tipo  de adoração, e as pessoas o acendiam para que o cheiro fosse agradável ao Senhor; no entanto, o que queimava em cada coração era abominável diante de Deus. Hoje, muitos aprendem a louvar com palavras bonitas, mas abrigam todo tipo de erro em seu espírito. Quem oculta o pecado tem o seu “louvor” rejeitado, como algo repugnante aos olhos do Pai.

As festas religiosas também não agradam a Deus. De que adianta fazer uma corrente para se livrar de algum sofrimento, se há pecado não confessado. Há quem chegue à loucura de pedir à pessoa a qual enganou que ore com ela, mesmo permanecendo na mentira e  escondendo dela o prejuízo físico, monetário ou moral que lhe causou. Ora, o Deus santo Se enoja com esse procedimento, e, no transbordar dessa insatisfação, o juízo dEle pode ser executado.

Do mesmo modo, o Altíssimo não considera a guarda do sábado de muitas pessoas, embora elas façam com “a melhor das intenções”. No entanto, o homem não foi feito por causa do sábado, mas este foi feito por causa do homem (Mc 2.27). O véu da iniquidade no coração de muitos, além de não lhes permitir receber o entendimento desse assunto, faz com que o ajuntamento solene não tenha valor.

Cada quantia recebida de modo desonesto, os enganos não confessados e os desejos imundos no coração provocam a ira divina. Por essa razão, a pessoa que erra tem a obrigação de expurgar o “veneno” que tal ação lhe trouxe por meio de uma confissão real, sincera e total. Caso esconda um só detalhe, o maligno permanece nela.

Quantas orações você tem feito as quais não são respondidas? Não é hora de parar de se enganar? Ao levar a sua oferta ao Senhor e, então, lembrar-se de alguém que tenha algo contra você, deixe-a diante do altar e procure tal pessoa a fim de se acertar com ela, ainda que ela nem saiba o pecado que você cometeu. Após esse ato, volte e apresente a sua oferta!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

 

 

Deus Altíssimo! Os filhos de Israel não entendiam o que Isaías lhes dizia, e, ainda hoje, muitos de Seus filhos não entendem. Eles dão um valor tremendo ao sábado, mas não a Ti. É como se tentassem Te comprar com atitudes que irritam a Tua face, pois fazem isso com o coração cheio de enganos.

É evidente que aquilo que Te agrada é um coração sincero, uma alma pura e despida das obras da carne e da imundícia do coração. Não há como Te agradar, se temos feito mal a alguém e escondido tal procedimento. Misericórdia, Senhor!

Hoje, é dia de tomarmos a decisão mais importante: deixarmos diante do altar a oferta maior – a nossa consagração a Ti – e procurarmos aquele a quem temos ofendido, defraudado e causado mal, a fim de nos recompor com ele. Assim, ficaremos livres para voltarmos e oferecermos o nosso dom a Ti, ó Pai!

> Receba em seu e-mail

 

> Pedido de oração

Pedido de oração