ongrace.com

> Mensagem de Hoje

12/08/2009 - O VALOR DA PONDERAÇÃO

  • Envie por Email
  • Imprimir



“E, por algum tempo, não quis; mas, depois, disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens” (Lucas 18.4).

Ninguém suporta ser importunado. Se, por exemplo, estiver deitado em sua cama, cheio de sono, e a água da torneira do banheiro começar a pingar de tempos em tempos, você não aguentará aquele pinga-pinga, não é verdade? Assim também, lemos nesta parábola das Escrituras que o injusto juiz não aguentou a importunação da viúva, a qual se dirigia a ele todos os dias pedindo-lhe justiça. A insistência da tal senhora fez aquele juiz – que se considerava todo-poderoso e não respeitava nem o Senhor nem os homens – ponderar. Então, para se livrar dela, ele decidiu fazer o que era a sua obrigação.

Essa passagem bíblica nos ensina a lutar pelos nossos direitos. Jesus declarou que Deus depressa fará justiça aos Seus escolhidos que Lhe clamarem dia e noite (v. 7,8). Portanto, Igreja, é preciso aprender a pleitear a sua causa! Não dê descanso ao Senhor, mas peça a Ele insistentemente, até que a justiça seja feita. Além disso, repreenda o inimigo a cada oportunidade.

Vez por outra, nós nos deparamos com muitas autoridades agindo como aquele juiz, como se fossem colocadas em suas posições para fazerem o que quiserem, não cumprindo a missão que receberam. Quanto prejuízo causam a quem tem direito aqueles que deixam para depois a decisão de uma questão judicial! O verdadeiro juiz terá de pedir contas pela demora em prestar o serviço pelo qual foi pago, assim como o professor que não ensina a lição como deveria e o médico que atende mal os seus pacientes.

Aquela mulher poderia ter simplesmente dito: “O que posso fazer, se essa é a vontade de Deus?”. No entanto, ela foi sábia e persistente. Muitas vezes, não recebemos uma dádiva por acharmos que o Senhor tem de nos abençoar de pronto. Mas a verdade é que, quando temos pouca fé ou deixamos de fazer o que nos compete, o Altíssimo fica impossibilitado de dizer sim aos nossos pedidos.

Deus não pode ser comparado àquele injusto juiz. Porém, às vezes, parece que Ele também não nos atende fazendo justiça, ou, em outras ocasiões, está demorando muito a responder às nossas orações. Por que isso acontece? Porque a justiça divina só chega na hora certa, quando estamos prontos para receber a vitória. Os dois cegos apresentados em Mateus 9.27-31, por exemplo, só foram atendidos quando estavam preparados. Portanto, ainda que o Senhor pareça tardio, é sempre pontual em cumprir Seus compromissos. Então, faça a sua parte, e Ele lhe atenderá!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

 

> Receba em seu e-mail

 

> Pedido de oração

Pedido de oração