18/05/2020 - CUIDADO COM A MULTIPLICAÇÃO

Como eles se multiplicaram, assim contra mim pecaram; eu mudarei a sua honra em vergonha. 

Oseias 4.7

Os sacerdotes do tempo de Oseias quase em nada diferem dos cristãos de hoje. Estes foram feitos pelo Senhor reis e sacerdotes para Deus (Ap 1.6), mas, se almejarem fazer fortuna, eles se esquecerão do Altíssimo como ocorreu no reino do Norte. As riquezas não abrangem somente bens materiais, mas também o sucesso em qualquer etapa da vida. Agora, é fato que alguns, antes de conhecerem o Evangelho, estavam bem arruinados, mas Deus os levantou.

O homem não é fiel como deveria. Basta o Senhor começar a abençoá-lo para dar sinais de que a humildade partiu da sua vida. Então, deseja um pouco mais e, nessa ganância, é até capaz de fazer coisas erradas. Esteja avisado deste fato: a salvação é trilhões de vezes melhor do que todo o ouro do mundo. Porém, poucos creem nisso. Bom mesmo é viver em comunhão com Deus.

Parece que o acúmulo de bens traz consigo um demônio que precisa ser expulso. Como Jesus explicou, um espírito maligno volta para ver como ficou a sua primeira casa depois de ter sido expulso. Caso a encontre vazia, varrida e adornada, convida outros sete demônios piores do que ele para habitarem ali (Mt 12.43-45). Com isso, a vida do indivíduo se deteriora mais do que antes, pois aquela opressão arrebenta com ela.

Os sacerdotes se deixaram levar pela abundância de bens existente naquele reino e não deram ao Senhor a devida honra. Assim, a casa deles ficou vazia e pronta para a “turma da bagunça” fazer a festa maligna. Veja o perigo da multiplicação rápida como a que ocorreu entre o povo de Deus: Assim, habitou Israel na terra do Egito, na terra de Gósen, e nela tomaram possessão, e frutificaram, e multiplicaram-se muito (Gn 47.27).

No Egito, os israelitas passaram de 70 (Gn 46.27) para milhares de almas. Ora, tendo a fartura de pão e o respeito do povo por causa de José, eles queriam se multiplicar, chegando à cifra de mais de 3 milhões no dia do êxodo. No entanto, embora crescessem e fossem honrados pelo Senhor, eles abandonaram o Deus de seus pais. Por isso, quando outro Faraó passou a governar, foram escravizados.

Já vi esse filme dezenas de vezes. Alguns chegaram à igreja em situação de penúria, mas logo se esqueceram de Deus. Desse modo, quando abriram os olhos, já estavam comprometidos com o diabo. Isso é morte espiritual! A parte da família que ainda frequenta a igreja o faz por religiosidade e não porque ama o Senhor. A multiplicação pode ser um mal que tomará conta de você amanhã!

Eis a advertência do Senhor: a honra dos sacerdotes seria mudada em vergonha, porque eles mudaram o amor a Deus para um culto frio, sem a presença divina. A produção prometida por Jesus seria de trinta, sessenta e cem por um (Mc 4.8), que dá três mil, seis mil e dez mil por cento. A promessa é certa e verdadeira!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares