08/06/2020 - DESPERTE PARA SE LIVRAR DO INIMIGO

Livra-me, meu Deus, dos meus inimigos; defende-me daqueles que se levantam contra mim.

Salmo 59.1

Às vezes, o homem não mede suas palavras e refere-se a Deus como se Este fosse igual a ele. Com isso, não dá honra ao Senhor pelo que é e faz, tornando-se um objeto nas mãos do diabo. Por que se arriscar por nada, desprezando a advertência divina de que o Juízo é real? Ora, quem não se preparar para a vida eterna se dará muito mal. O nosso clamor é por quem entende o perigo de estar longe de Cristo, pois precisa despertar.

A Igreja tem um papel importante neste momento, pois as filosofias do mundo já provaram a sua ineficácia e nunca poderão satisfazer a justiça pela qual a humanidade clama. Temos de buscar o Deus dos Exércitos celestiais, porque, com as nossas forças, não há como lutar contra o mal que destrói a esperança. Se o Senhor não estiver conosco, não obteremos sucesso!

Quando buscava a Deus e O encontrava, Israel era liberto. Os registros bíblicos nos servem de exemplos para O invocarmos de todo o coração. Ele Se deixará ser achado por quem demonstrar sinceridade na alma e desejo de ser livre. Em Deus o homem pode confiar, porque as suas batalhas serão travadas pelo Altíssimo. A vitória é daquele que crê no Senhor, entrega-se a Ele e vive pela fé em Cristo.

Juntemos tudo em um clamor, seguindo a orientação que veio por intermédio de Davi, o rei salmista de Israel. A questão é: queremos ver a solução dos problemas, ou deixaremos o inimigo acabar com a esperança das pessoas? O Pai tem despertado e socorrido o ser humano. Afinal, Jesus venceu o diabo e deu a quem O recebe poder para realizar a obra como Ele fazia. Deus é tremendo!

Os salvos, cuja remissão de pecados os tornou aptos a serem membros do Corpo de Cristo, possuem a unção necessária para acabar com a onda de pecados e imundícia que varre o mundo. Mas, infelizmente, muitos agem como traidores, preocupando-se somente em adquirir riquezas, usando os dons que receberam de Deus. Eles se esqueceram de que esse era o pensamento de todos nos dias de Noé e Ló (1 Pe 3.20; Lc 17.28).

No entanto, chegou o dia em que a arca foi fechada, trazendo todas as espécies de animais, e somente oito pessoas foram salvas. O Dilúvio matou o restante que não creu na mensagem anunciada durante anos a fio pelo pregoeiro da justiça (Gn 6 e 7; 2 Pe 2.5). Quando a porta se fechou, e a chuva caiu, todos se desesperaram e viram que tomaram a decisão errada. No julgamento de Sodoma, o mesmo ocorreu, e, de novo, os pecadores morreram.

Não seja um pérfido, e sim alguém que entende a importância das advertências do Senhor. Por nos amar e desejar o nosso bem, Ele nos leva a refletir que vale a pena deixar a porta larga do mundo mau, para vivermos eternamente. O que você acha? A decisão está em sua mão. Viva pela fé!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares