20/09/2020 - BONS EM TUDO

Todos estes descendentes de Aser foram bons chefes de famílias, homens de valor e bons chefes militares. Segundo os registros de famílias, chegaram a ser vinte e seis mil homens aptos para a guerra. 

1 Crônicas 7.40 – (BSRL)

Aser foi o oitavo filho de Jacó nascido de Leia, cujo nome saiu de uma expressão de sua mãe que significa felicidade. Ao numerar as famílias procedentes de Jacó, as quais formaram o reino de Israel, o escritor citou as virtudes desses descendentes. A versão da Sociedade Bíblica Portuguesa usada nesta mensagem aponta três qualidades desse ramo de Israel, que também devem existir em nós.

Eles eram chefes de famílias. Eis um dos motivos pelos quais os herdeiros desse povo permanecem vivos e unidos até hoje, desfrutando das bênçãos prometidas aos seus patriarcas. Eles não negaram a sua origem, que, diga-se de passagem, é maravilhosa, construída por gente que teve o temor de Deus norteando seus caminhos e suas ações. Vergonhosamente, alguns cristãos não honram a Palavra, e isso é um dos escândalos inevitáveis (Lc 17.1).

Além de permanecerem firmes na fé, na santidade e no temor divino, os salvos precisam pensar nas próximas gerações e se esforçar para deixar-lhes um excelente legado espiritual, pois isso é mais valioso do que bens materiais e dinheiro. Não podemos ser como Ezequias, que aceitou a revelação de um futuro sombrio para seus filhos, dizendo que boa era aquela palavra do Senhor (2 Rs 20.16-19; Is 39.8). Acorde e faça o bem!

Os descendentes de Aser também foram homens de valor, algo raro, pois a filosofia do “Quanto mais para mim, melhor” impede os pais de ensinarem aos filhos a maneira correta de viver, de servir a Deus e se preparar para a eternidade. Tudo o que conseguirmos neste mundo ficará aqui, mas quem recebe a Palavra a levará consigo. Não podemos nos igualar aos perdidos, que só pensam nesta vida.  

A linhagem desse filho de Jacó era composta de bons chefes militares. Apesar de ser povo de Deus, Israel recebia ataques de nações que queriam subjugá-lo, mas, enquanto andou com o Senhor, o povo santo não sucumbiu a nenhuma das exigências dos ímpios. Ao contrário, saiu em combate e os venceu pela força vinda do Alto. Até a invencível e temível Assíria teve de se curvar diante do Reino de Judá, quando Ezequias e Isaías oraram e presenciaram o majestoso livramento do Todo-Poderoso (leia 2 Rs 19).

Os herdeiros de Aser também eram homens de guerra. Como dói ver cristãos morrerem de medo e sofrerem os males que não têm poder sobre os filhos de Deus que Lhe obedecem! Muitos andam na carne, longe do favor do Pai. Ora, sem fé, é impossível agradar-Lhe (Hb 11.6): abrir o caminho para Ele operar. Os salvos devem orar, a fim de serem adestrados para a batalha (Sl 144.1).

Ao colocar tal orientação nas Escrituras, o Altíssimo nos ensina como nos comportar. Não importam as barreiras que os países erguem para impedir o progresso da Palavra de Deus. O mundo há de encontrar a Verdade – Jesus!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares