24/10/2020 - A IMPORTÂNCIA DOS FILHOS ESPIRITUAIS

Porque qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa de glória? Porventura, não o sois vós também diante de nosso Senhor Jesus Cristo em sua vinda?

1 Tessalonicenses 2.19

O nosso alvo não é somente pregar o Evangelho – quando o fazemos, damos ao ouvinte a possibilidade de se salvar –, mas também livrar as pessoas da perdição eterna. Se não for dada outra oportunidade aos que rejeitam a oferta divina, eles irão para o suplício infindável. Os salvos são a nossa esperança, gozo ou coroa de glória (1 Ts 2.20). Aleluia!

Todo cristão deve se esforçar para viver em santificação, pois é fundamental permanecer longe do pecado. As Escrituras deixam isso claro: Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hb 12.14). Ora, se não houver em nós a separação que a Palavra diz ser necessária, estaremos arruinados! Por que não nos emendarmos?

Trabalhar no Evangelho sem a devida santidade é jogar no lixo a chance de entrar no Reino eterno do Senhor. Por que trocar algo de incomparável valor por atos repugnantes até em pensamentos? A escolha está em nossas mãos, e, por mais triste que seja a perdição de quem já foi iluminado, muitos cedem ao diabo e se perdem para sempre. O que se passa na mente dessas pessoas?

Ao ser tentado pelo maligno, você pode provar se ama a obra de Jesus realizada em seu favor, ou prefere seguir para o tormento sem fim. A tentação não é brincadeira do inimigo. Quando você a experimenta, sua alma se desliga de Deus, como ocorreu no jardim do Éden, e se coloca como serva do diabo. O sofrimento de quem agir assim nunca terminará.

Ao vermos as pessoas deixando o pecado e santificando-se para andar com o Mestre, o nosso coração se enche de alegria, e sentimos como se recebêssemos parte da recompensa que nos será concedida no Dia da Redenção. A Bíblia diz: Os sábios, pois, resplandecerão como o resplendor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça refulgirão como as estrelas, sempre e eternamente (Dn 12.3). Deus é bom!

Tenha como o maior alvo da sua vida a salvação dos perdidos, porque esse foi o motivo de Deus ter-nos dado Seu Filho Unigênito para morrer em nosso lugar. Quanto a isso, Isaías declarou: Todavia, ao SENHOR agradou o moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os dias, e o bom prazer do SENHOR prosperará na sua mão (Is 53.10).

Quando Jesus vier, e os salvos com Ele, nós que pregamos o Evangelho nos alegraremos sobremaneira. Nesse momento, veremos a nossa esperança cumprida, bem como o gozo e a coroa de glória que receberemos. Como será bom contemplar os salvos entrando no Reino dos Céus, de onde jamais sairão! A Deus sejam a glória e a honra!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares