21/11/2020 - ESTE DIA VOS SERÁ POR MEMÓRIA

E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao SENHOR; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.

Êxodo 12.14

Pela fé, a Páscoa foi celebrada ainda no Egito, quando Israel estava certo de que sairia das terras e do senhorio de Faraó. A nossa Páscoa é a celebração da nossa saída do reino do pecado e da entrada no Reino do amado Filho de Deus (Cl 1.13,14). Diante dessa realidade, não temos de servir ao diabo nem dar atenção às suas tentações. Com Cristo, viveremos livres para sempre. Nunca se subestime; viva a liberdade na sua extensão.

Os hebreus ainda estavam naquele país que os escravizava, mas, pela promessa enviada por Deus, descobriram que aquela prisão estava perto do fim, por isso celebraram a Páscoa  a passagem do cativeiro rumo a Canaã, a Terra da Promessa. Os Céus têm sido preparados para nos receber um dia. O sinal de que o momento chegará será o toque da última trombeta, quando Cristo vier nos buscar. Então, subiremos (1 Ts 4.16,17)!

Durante milênios, muitas nações quiseram fazer dos filhos de Jacó seus escravos, mas era só questão de tempo, pois, quando se arrependiam de seus erros, e não havia iniquidade neles, o diabo não podia fazê-los se submeter aos seus caprichos. O pecado é perdoado quando o confessamos e nos voltamos para Deus; então, somos postos em liberdade. Não deixe o pecado tomar conta da sua carne mortal, mas encha-se do Espírito (Rm 6.12-14; Ef 5.15-21)!

Jesus nos tirou do maior cativeiro  o da eterna submissão à Satanás. Logo, o direito de nos desvencilhar do reino da maldade deve ser reivindicado. Afinal, nenhuma força do Inferno nos fará servos de Satanás. O Filho de Deus conquistou a nossa independência e nos fez senhores sobre as trevas (Lc 10.19). Portanto, não há como o maligno nos oprimir. Nunca mais você agirá de acordo com ele. Creia!

Hoje, não celebramos a saída do Egito, mas a do Inferno. Com isso, o salvo não se dobrará aos vícios, aos sofrimentos nem à vergonha. Por sermos novas criaturas em Cristo, as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo (2 Co 5.17). Podemos declarar que, de fato, somos filhos de Deus. Nenhum cristão precisa se sujeitar ao maligno, e sim marchar decididamente para fazer valer seus direitos em Jesus.

Esforce-se para não faltar ao culto de celebração da Santa Ceia na igreja; afinal, nesse dia, você reafirmará que o império das trevas não o controla mais e comemorará a sua entrada no Reino dos Céus. Devemos perguntar como Paulo: Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória? (1 Co 15.55). Se você ainda sofre os ataques do adversário, precisa crescer na fé, e a sua libertação será real.

De acordo com as Escrituras, devemos comemorar a vitória de Jesus sobre o diabo até a vinda do Senhor (1 Co 11.26). Nada nos tirará das bênçãos compradas na cruz em favor daqueles que amam a Cristo. Jamais se deixe levar pelo inimigo. Saiba que o Espírito Santo o visitará para confirmar a sua posição no Filho de Deus. Aleluia!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares