23/02/2021 - AQUELA NOITE

E, tendo passado ali aquela noite, separou do que tinha um presente para seu irmão Esaú.

Gênesis 32.13

Ao pressentir o que aconteceria com a chegada de Esaú, Jacó abriu o coração para o Senhor e confessou seu medo. Não é errado falar a verdade com Deus, mesmo parecendo fraqueza. Mentir é pecado e desagrada ao Altíssimo. A Palavra nos orienta a abrir o nosso coração, para nos livrarmos dos embaraços deste mundo. O momento de oração deve ser, portanto, um encontro de filho com o Pai. 

Lembrar as promessas feitas pelo Todo-Poderoso – coisas que só nós conhecemos – trará mais confiança na batalha da oração e, assim, seremos vitoriosos. Nada há de errado em nos despir espiritualmente na presença divina. Além disso, não nos podemos esquecer de que a luta travada pelos nossos direitos são espirituais, bem como as armas que temos de usar. Na verdade, as armas do argumento humano são fracas e não têm efeito nos embates da fé (2 Co 10.4).

Quando mostramos ao Senhor as declarações dEle em nosso favor, lembramos a nós mesmos o que já nos foi dado e, então, a nossa fé é aumentada. Sem fé, não há como vencermos. Em sua luta com Deus, a qual ocorre no momento da intercessão, não deixe nada tirá-lo da revelação obtida pela Palavra acerca do assunto da sua petição. O Espírito Santo irá fortalecê-lo para a vitória!

Jacó tinha na memória a promessa feita a ele, segundo a qual sua semente seria como a areia do mar e, por isso, não poderia ser contada. Ao lutar em oração, declare ao Senhor o que aprendeu dEle e mostre-Lhe que você aceita tais ensinamentos e não abre mão deles. Não receba propostas alternativas, pois Deus não mente e cumprirá exatamente o que lhe disse. Ele é fiel em tudo!

Paulo enfrentou um temporal que não cessava de jeito algum. Quando este já durava mais de 14 dias, o apóstolo resistiu com suas forças pela fé. Então, um anjo celestial confortou-o com o seguinte recado: Paulo, não temas! Importa que sejas apresentado a César, e eis que Deus te deu todos quantos navegam contigo (At 27.24). Se ele não tivesse sido ousado para usar as suas forças espirituais, não teria recebido a visita do anjo!

Com Paulo aconteceu conforme ele creu; com você, também ocorrerá o mesmo. Nós nos tornamos diferentes, porque o Senhor nos fez vitoriosos: Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou (Rm 8.37). A possibilidade de não acontecer o que sai da boca do Altíssimo é nula. Tudo o que Ele diz há de se cumprir, basta “agarrarmos” o Seu mensageiro! Então, seja guerreiro!

Aprenda a passar “aquela noite” na presença de Deus, tempo em que a luz não brilha para você. Tome presentes, dentre as promessas que já lhe foram dadas a conhecer, e envie-os a quem o persegue e não tem reconhecido sua posição diante do Senhor e de tudo. Afinal, assim como Jacó, você é Israel, o príncipe que luta com Deus e prevalece (Gn 32.28). Creia nisso! 

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares