19/03/2021 - O DIA DE ADONI-BEZEQUE

E acharam a Adoni-Bezeque em Bezeque, e pelejaram contra ele, e feriram aos cananeus e aos ferezeus.

Juízes 1.5

O povo de Deus pratica a justiça, pois serve ao Senhor, o qual é justo e reprova a maldade das pessoas em relação ao próximo. Na conquista da Terra Santa, os israelitas receberam a ordem de riscar do mapa os povos que lá habitavam. Durante séculos, estes cometiam as piores e indescritíveis aberrações, colocando fogo em crianças e atirando-as como oferendas aos ídolos de metal, chamados de deuses (Dt 18.9-14).

O diabo tem horror a criancinhas, principalmente os meninos. Prova disso foi o ocorrido, há cerca de 3.500 anos, quando o faraó da época decretou que todo menino nascido naquele período fosse morto pelas parteiras (Êx 1.15,16). Naqueles dias, quando um hebreu especial nasceu, seus pais o esconderam durante algum tempo. Porém, como crescia e fazia barulho, como os bebês fazem, sua irmã colocou-o no rio Nilo, onde uma princesa se banhava. Esta, que era a filha do faraó, achou-o e o adotou, dando-lhe o nome de Moisés – “tirado da água” (Êx 2.1-10).

Além dessa ocasião, nos dias que antecederam o nascimento de Jesus, o rei Herodes editou um decreto ordenando que todo menino de dois anos para baixo fosse morto. Ele fez isso por ter sido enganado pelos magos que tinham saído do Oriente para adorar o Rei recém-nascido (Mt 2.16-18). A revelação que receberam não informava o lugar exato onde o Messias Se encontrava, por isso foram procurar o Salvador por todas as partes. Herodes maravilhou-se com a notícia e pediu-lhes que o avisassem ao descobrirem o paradeiro da criança, a fim de poder também adorá-Lo. Mas eles não voltaram!

Em nossos dias, há uma teoria chamada ideologia de gênero, que procura confundir as pessoas ao sugerir que menino pode ser menina, ou vice-versa. Essa é a mais pura mentira na qual alguns pais creem e começam a ensinar aos filhos. Quem está por trás disso? Sem dúvida, o diabo. Em nosso país, inclusive, em várias escolas, tal aberração passou a ser ensinada como coisa normal.

O rei do povo que vivia no território conquistado por Judá era possuído por um espírito maligno, o qual o impelia a cortar os dedões das mãos e dos pés dos monarcas derrotados por ele nas batalhas. Diante dessa dificuldade, esses homens não podiam manusear bem uma arma nem correr. Além disso, viviam em seu palácio, comendo das migalhas caídas pelo chão debaixo de sua mesa. A maldade desse homem era conhecida no mundo, e Judá o encontrou em Bezeque, onde batalhava contra os cananeus.

O nome desse insensato rei era Adoni-Bezeque. Ele fugiu, mas os homens de Judá foram atrás dele, prenderam-no, cortaram-lhe os polegares das mãos e dos pés e o levaram vivo a Jerusalém. O tipo de justiça recebida por ele foi a mesma praticada na vida de quem ele derrotava. Adoni-Bezeque reconheceu que Deus retribuiu a maldade que fizera com 70 reis vencidos. Hoje, a justiça de Deus é feita no mundo espiritual, por meio da oração da fé.

Tão logo eles acharam Adoni-Bezeque, pelejaram contra ele. Provavelmente, o ardor da ira divina os impulsionou a vencer os cananeus e ferezeus, bem como perseguir esse homem inescrupuloso e mau. Isso serve de advertência para a pessoa que age maldosamente em relação àqueles que ela pensa ser um perigo para a sua insaciável fome de possuir bens e fama.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares