18/04/2021 - O ESCOLHIDO DE DEUS

E o SENHOR, Deus de Israel, escolheu-me de toda a casa de meu pai, para que eternamente fosse rei sobre Israel; porque a Judá escolheu por príncipe, e a casa de meu pai, na casa de Judá; e entre os filhos de meu pai se agradou de mim para me fazer rei sobre todo o Israel.

1 Crônicas 28.4

A escolha do Senhor tem de ser acatada, pois, sendo Deus, Ele não erra e nunca agirá fora da Verdade. Samuel foi enviado à casa de Jessé. Ao chegar lá, viu os filhos deste homem e observou que o primogênito era o mais belo de todos. No entanto, quando comentou que iria ungi-lo, o Altíssimo disse que Ele não escolhe como o homem faz (1 Sm 16.1-13).

O profeta ficou ruborizado, mas aceitou a decisão divina. Em seguida, os rapazes passaram, um a um, diante de Samuel. Com a devida precaução, ele os examinou e, ao constatar que não encontrara o futuro rei, perguntou a Jessé se os jovens haviam acabado. O pai respondeu que outro filho estava cuidando das ovelhas da família. Diante disso, o profeta sentiu o toque do Senhor e pediu que trouxessem o moço. Era Davi, o eleito!

Davi, o escolhido pelos olhos de quem é Onisciente, o Senhor, foi ungido por Samuel, mas ninguém ficou sabendo disso. Com o passar dos dias, o pastor de ovelhas provou o motivo da sua eleição. O amor de Davi por Deus e pelo seu povo logo mostrou que era a pessoa certa. Quanto a essa nomeação, o Senhor falou que Davi deveria ser eternamente rei sobre Israel. Será que estava certo? Sim (1 Rs 2.4)!

O Todo-Poderoso sempre mostrou que o Seu querer é melhor que o do homem. Logo, devemos procurar conhecer Seus desígnios e dedicar-nos a cumpri-los, para sermos achados fiéis diante dEle. Dentre os filhos de Jacó, Judá foi escolhido por príncipe, de onde viria o Salvador da humanidade. Porém, antes de esse dia chegar, essa tribo governaria Israel. Foi justamente Davi quem trouxe a paz a toda nação, vencendo as guerras.

Havia muitas famílias na tribo de Judá; porém, da casa de Jessé sairia a que tiraria toda a vergonha da nação. É quase impossível aceitar que Davi, tendo participado de tantas batalhas sangrentas, nunca fora ferido, enquanto milhares morriam. Ora, isso é uma das provas de que havia algo especial nele. Era o rei em quem Deus tinha prazer!

O comentário do profeta Samuel no dia da seleção teve como base a lógica, visto que o primogênito era alto e bem apresentado. No entanto, Davi era valente, servo de Deus e pronto para dar ao inimigo a lição merecida. As escolhas do Senhor são feitas sobre um prisma desconhecido pelo homem. Precisamos ter cautela para não elegermos um pastor, obreiro ou qualquer outra pessoa por causa de atributos humanos. O Altíssimo é quem escolhe!

O que fez Deus Se agradar de Davi? Sem dúvida, o amor desse jovem para com Ele. Quem ama o Senhor – tem os mandamentos e os cumpre – sempre será o escolhido.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares