28/10/2021 - O POUCO QUE FALTAVA

Tive grande gozo e consolação do teu amor, porque por ti, ó irmão, o coração dos santos foi reanimado. 

Filemom 1.7

O apóstolo Paulo volta a dizer a Filemom o que sentiu ao ouvir sobre o amor do Senhor derramado em seu coração, o qual ele usava para fazer a obra. Era o mestre dando nota dez ao discípulo pela sua maneira de servir ao Altíssimo. Temos de viver desse modo, pois isso nos dará intrepidez diante dos desafios que surgem para paralisar nossa ação na obra do Pai. Em todas as coisas, somos mais do que vencedores (Rm 8.37).

O Senhor fez Paulo sentir grande contentamento e consolação pelo amor divino operado por intermédio de seu aluno. Será que Deus não quer que o seu pastor sinta o mesmo? Acorde! A sua ida ao Reino dos Céus não aconteceu por acaso. O Libertador o escolheu para este momento e está do seu lado dia e noite. Porém, conforme ocorreu com o povo de Israel no passado, muitos, hoje, deixam-se levar pelos erros (Jr 2.13). Jamais frustre o Criador!

Parece que Filemom atuava como líder da igreja em Colossos e, certamente, era um obreiro com bom testemunho. Seria saudável se todo cristão, independentemente da sua posição na obra divina, agisse como esse servo de Deus. O Reino dos Céus é dado aos que amam o Salvador e não só pensam em conseguir bênçãos. Ora, elas existem e nos pertencem; porém, se formos servos, nós as receberemos com mais facilidade (Mt 24.46).

Alguém poderia imaginar que a prisão estivesse tirando a alegria de Paulo, diminuindo o seu zelo para com a fé. No entanto, ao ouvir sobre o trabalho de Filemom, o apóstolo se renovou, e a satisfação de servir a Cristo, além de ter inundado o seu espírito, trouxe-lhe consolo. Sem dúvida, o seu sucesso em se submeter a Deus e fazer o poder dEle agir na sua vida e na de outros fez muitos se reanimarem. Gaste horas buscando a presença do Altíssimo e você será uma fonte de bênção para muita gente.

Erra o filho de Deus que cede ao pessimismo ou aos desejos de pessoas que deveriam dar bom exemplo, mas não o dão, por estarem no mau caminho. Ora, as atitudes delas jamais podem nos desligar do Redentor (Hb 12.1,2). Precisamos nos lembrar de que a alegria do Senhor é a nossa força (Ne 8.10); então, deixemos de lado as confusões dos homens e passemos a nos dedicar a fazer o bem. Com isso, contaremos com o suporte necessário para não cairmos em pecado.

Devemos reanimar o coração dos santos, fazendo o que agrada ao Onipotente, e continuar a crer em Quem nunca nos deu motivos para agir errado. Melhor mesmo é nos lembrarmos do que já ouvimos do Senhor e passarmos bons momentos em Sua presença, orando no Espírito Santo, até o nosso coração se alegrar nEle. Quando essa satisfação vem, é hora de tomarmos posse do que o Pai nos tem falado. A nossa postura diante das tentações e do Senhor fará a diferença!

Nunca esmoreça! Se isso acontecer, você não terá a força requerida na hora da peleja: Se te mostrares frouxo no dia da angústia, a tua força será pequena (Pv 24.10). Por que reduzir o agir de Deus em você, se a sua missão é uma das mais nobres? Levante-se em o Nome de Jesus e vá à batalha. É tempo de lutar e vencer. Honre a Deus!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares