31/10/2021 - TUDO PELO FILHO ONÉSIMO

Peço-te por meu filho Onésimo, que gerei nas minhas prisões. 

Filemom 1.10

A luta de Paulo para salvar Onésimo era maior do que pensamos. Se não tivesse ido para Roma, o escravo fujão acabaria se perdendo no mundo e pela eternidade. Os servos de Deus precisam gastar tempo em oração, jejuns e muito trabalho, a fim de arrebatar alguns do fogo eterno (Jd 1.23). Esta é a missão de todo cristão: lutar para que os perdidos sejam resgatados. Depois, Paulo se esforçou para que Filemom recebesse o fugitivo como um irmão em Cristo.

Paulo fala com alegria sobre Onésimo, o qual gerou nas suas prisões. O seu jeito de se expressar nos ensina a importância de ganharmos vidas para o Reino dos Céus. O homem costuma ver só o que lhe interessa, no intuito de resolver seus problemas. Porém, Paulo – apesar de ser o homem que sacudia regiões inteiras com o poder de Deus, e a última foi Malta, a ilha do seu naufrágio, quando levou os habitantes a Cristo – agora fala do escravo que ele conduziu à salvação (At 28.1-10).

O apóstolo não deixou a glória subir à sua cabeça, achando-se uma figura ilustre, incapaz de se importar com o pobre escravo, considerado um bem de uma pessoa abastada. Ora, estamos rodeados de necessitados e oprimidos, que, às vezes, não têm o que comer ou vestir; vidas desperdiçadas nos mais diversos e deprimentes erros. Devemos nos dar a elas para salvá-las, porque suas almas são preciosas.

O valor do ser humano foi mostrado por Jesus. O Redentor, sendo um com o Pai, tendo o Universo para ser cuidado nos mínimos detalhes, deixou a glória de ser corregente com o Pai e veio salvar você e eu mediante a Sua morte e ressurreição (Fp 2.5ss). Ele, podendo nos ignorar, mostrou-nos o tamanho do Seu amor e a nossa importância em Seus propósitos. O Senhor jamais nos abandonaria, porque é bom e misericordioso.

Devemos nos importar com os “escravos” das práticas indecorosas. Muitos negam o seu gênero, querendo ser algo não destinado a eles pelo Criador. Mal sabem: esse desejo é a voz de Satanás. Os tais têm o direito de conhecer a Verdade para serem libertos. Onésimo representa qualquer pessoa dominada, ultrajada e usada pelo diabo. Todos precisam ser levados à libertação.

Para o apóstolo, a cadeia que lhe tirou a liberdade de ir e vir, de ser respeitado como cidadão do maior império do mundo daqueles dias, reduzindo-o a um prisioneiro de Jesus, foi bênção, pois nela ele levou salvação a mais uma alma. Permita-me perguntar-lhe: “Quantas almas você tem ganhado para Jesus?”. Se a resposta for: “Nenhuma”, você está incluído no grupo dos mais miseráveis, porque pensa apenas nas coisas materiais e se esquece de multiplicar as minas (Lc 19.14-26).

Você está esperando que o Senhor o envie à prisão, a fim de entender o valor que Ele dá a um pequenino sem direito algum? Hoje mesmo, deixe o Espírito Santo usá-lo, pois Cristo deu Sua vida pelos pecadores. Ele nos salvou para nos engajarmos na Sua missão, a mais nobre do mundo. Ganhe almas para o Reino!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares