28/11/2021 - E NUNCA MAIS O VIU

O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel e seus cavaleiros! E nunca mais o viu; e, tomando das suas vestes, as rasgou em duas partes.

2 Reis 2.12

A separação ocorrida entre Elias e Eliseu, quando aquele foi levado aos Céus, deixa para nós uma boa e importante mensagem: a morte (que não foi o caso de Elias, pois foi levado aos Céus vivo – 2 Rs 2.11) nos separa de quem nos é querido e amado. Muitas pessoas de Deus, por desconhecerem o que a Bíblia diz sobre os mortos, os invocam pedindo conselhos, ou para que intercedam junto ao Senhor buscando proteção.

Alguém que morreu – e, nos seus dias na Terra, foi usado pelo Senhor – pode falar com Deus melhor do que nós agora? Ora, a Palavra esclarece esse assunto definitivamente: Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco eles têm jamais recompensa, mas a sua memória ficou entregue ao esquecimento (Ec 9.5). Apenas um salvo vivo tem condições de interceder em oração (1 Jo 5.13-16).

É bom lembrar: santo é aquele que aceitou Jesus como Salvador e, por isso, foi justificado na Sua morte, lavado no Seu sangue e batizado nas águas pelo pastor e no Espírito Santo pelo próprio Salvador. Enquanto estiverem entre nós, os santificados em Cristo terão suas orações e súplicas atendidas. Porém, ao morrerem, a sua memória estará no esquecimento – não terão lembrança das coisas passadas. Não é bom colocar a sua esperança nas palavras do homem. Só a Palavra de Deus é a Verdade!

Eliseu teve de se esforçar para se recordar do que seu mestre lhe dissera: quando Elias fosse levado aos Céus, porção dobrada da sua unção repousaria sobre Eliseu. Este devia ficar bem ligado; em um lapso de tempo, o profeta subiria, e assim aconteceu. Temos de ficar atentos ao que o Espírito de Deus diz e fazer a oração ao sentirmos o momento de agir (Ec 8.5). Quem não vigia perde as oportunidades de ser abençoado.

Vendo o profeta ser arrebatado, Eliseu gritou, invocando o Senhor assim: Meu pai, meu pai, carros de Israel e seus cavaleiros! Eliseu percebeu que esse era o poder que acompanhava seu mestre em seus feitos e o seguiria a partir daquele momento. Não há mágica na obra da fé, e sim o agir de Deus. Quando recebemos a resposta do Céu, há a manifestação do poder que nos foi dado.

Assim que presenciou o Céu aberto, Eliseu rasgou as suas roupas, como se dissesse: “A partir deste momento, posso entrar no ambiente do Espírito de Deus”. Suas vestes não eram mais as humanas, e sim as celestiais. É preciso crescer na Palavra e no poder divino: E Jesus, respondendo, disse-lhes: Porventura, não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus? (Mc 12.24). O que você diz?

O laço de Eliseu com Elias foi cortado naquele momento. Então, ele teria de buscar o Senhor para dar solução aos problemas das pessoas. Quando o Altíssimo levar algum dos Seus pastores, não caia na armadilha do maligno de orar para que tal servo o ajude. Além de falsa doutrina, é um engano do diabo. Quem for levado ao Céu não saberá mais de nada daqui!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares