09/08/2022 - AMOR DE IRMÃO

E tenho por justo, enquanto estiver neste tabernáculo, despertar-vos com admoestações.

2 Pedro 1.13

O carinho do apóstolo Pedro pelos irmãos em Cristo é louvável. Apesar de anos de serviço, ele não se dava por satisfeito em ter sido usado nos seus dias de mocidade, mas se prontificava diante do eterno Rei para contribuir um pouco mais com aqueles que estavam fazendo a obra como o Senhor queria. É desse modo que temos de fazer ao povo pastoreado por nós. Dar o Pão é uma das mais nobres missões dos filhos de Deus!

Pedro era incansável na obra do Senhor. Para ele, nada mais justo e oportuno era passar os seus dias orientando as pessoas e admoestando-as do perigo de seguir Jesus de longe. Caso fizessem isso, poderiam, inclusive, negar o Mestre, como o próprio apóstolo havia feito. Quanto mais distante você estiver do Senhor, mais perto estará do rei da maldade. Ora, o maligno tem de ser repreendido e expulso.

Se todo cristão considerasse o seu trabalho como algo justo, ensinaria a todos a respeito da benignidade de Deus. Com isso, haveria menos desistência de voltar a comunhão com o Altíssimo. Por intermédio de Pedro, o Pai nos adverte que o diabo anda ao nosso derredor, bramando como leão, procurando a quem possa tragar (1 Pe 5.8).

Pedro sabia que, em pouco tempo, seria levado para junto do Senhor, a quem amava e o fez ser pescador de homens. Um dia, também estaremos ao lado do Salvador, o qual virá nos buscar no momento oportuno. Não somos do mundo (Jo 15.19), por isso não ficaremos aqui. A nossa morada é eterna, nos Céus. Porém, enquanto não vem a nossa hora, devemos ter por justo cumprir a nossa missão com esmero e fidelidade.

Aqueles que trabalham na seara divina com amor e levam a Palavra aos perdidos, bem como a quem já foi santificado pelo sangue de Cristo, gostariam de ficar mais um tempo no mundo para dar o melhor de si ao Senhor. No entanto, como nós não decidimos a hora de estar na presença de Deus, precisamos nos acostumar para dizer sim a Quem nos privilegiou de modo especial, levando-nos a fazer a Sua vontade. A Deus seja a glória!

Várias vezes não nos sentiremos preparados. Mas, ao sermos usados pelo Altíssimo, perceberemos que isso ocorreu pela misericórdia divina, nunca por nosso mérito. Como o Espírito Santo é o nosso Guia em tudo, resta-nos continuar fiéis e prontos para dizer amém quando recebermos a chamada. Por isso, apronte-se e espere pela tarefa a ser feita com amor.

A obra divina necessita de pessoas que se emocionem a cada incumbência confiada a elas. O certo é esperar pela convocação celestial e fazer o seu melhor em todos os sentidos. Quando você for recolhido, não haverá tempo de preparação. Portanto, esteja pronto para servir ao Senhor aqui ou na Glória! 

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares