11/01/2010 - QUATRO SÁBIAS ORIENTAÇÕES

QUATRO SÁBIAS ORIENTAÇÕES

“Rogamo-vos também, irmãos, que admoesteis os desordeiros, consoleis os de pouco ânimo, sustenteis os fracos e sejais pacientes para com todos”
(1 Tessalonicenses 5.14).

 Os mandamentos já nos foram dados, mas, muitas vezes, não prestamos atenção a eles. Na verdade, há ocasiões em que nem nos importamos com o que temos de fazer. Devemos reconhecer que vivemos como se o que foi prescrito aos servos do Senhor o foi para outras pessoas e não para nós. Mesmo no ministério, há aqueles que não estão verdadeiramente servindo a Deus. Para muitos, ter o título de obreiro é como um emprego, onde o que interessa é o quanto se ganha. Coitados, como estão enganados! Um dia, serão chamados a prestar conta da sua mordomia e, então, ouvirão dos lábios do Senhor que, por serem servos maus, devem marchar para o flagelo eterno (Mateus 25.26-30).

Admoesteis os desordeiros – Temos de admoestar os desordeiros, os insubmissos, no entanto, se fizermos parte desse grupo, como poderemos adverti-los? Toda insubordinação à Palavra do Senhor é uma declaração de rompimento de relações. A rebeldia fez o arcanjo criado para ser o querubim da guarda tornar-se o diabo e ser condenado a réu eterno. Quem não se submete aos mandamentos provará o suplício eterno. Todo rebelde precisa entender que a condenação que receberá pelos seus loucos atos não compensa o lucro ou prazer de que desfruta.
 
Consoleis os de pouco ânimo – Há irmãos que, por esfriarem na fé e perderem o ânimo, precisam ser consolados em suas tribulações. Sem uma palavra firme, um conselho sábio, uma mensagem inspirada, eles podem ser destruídos para sempre. A falta de ânimo rouba dos guerreiros do Senhor a vitória, por isso, ministrar a eles conta muito diante do Altíssimo.
 
Sustenteis os fracos – A falta de alimento espiritual nutritivo deixa as ovelhas fracas. Além disso, o desprezo que algumas delas dão ao que lhes está sendo ministrado também as debilita; por esse motivo, temos o dever de sustentá-las. Muitas vezes, a caminhada que o Senhor lhes dá é íngreme, e elas não conseguem subir a montanha, então, é preciso levá-las nos braços, ou parar de vez em quando para um descanso e oferecer a elas o alimento certo, o qual irá fortificá-las. Ovelha fraca é sinal de que o relacionamento dela com o pastor não está bem. Se ela recusa o alimento, ou se este não é apropriado para sua capacidade de deglutir, é necessário revisarmos o que damos a elas e levarmos o assunto a Deus em oração.

Sejais pacientes para com todos – É na paciência que ganhamos a nossa alma, disse o Senhor (Lucas 21.19). Ser paciente com todos – quer ovelhas do nosso pasto, quer de outro –, e até mesmo com os perdidos, fará apenas bem aos que precisam conhecer o poder do nosso Deus.
 Uma das estratégias do diabo é deixar-nos irados. Foi assim que Moisés perdeu a bênção de introduzir os hebreus em Canaã, apesar de tê-los guiado por 40 anos (Deuteronômio 32.48-52). Não cometa o mesmo erro!

 Em Cristo, com amor,

 R. R. Soares