10/06/2010 - ANIQUILANDO A GRAÇA

“Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde” (Gálatas 2.21).

A graça do Senhor veio sobre a humanidade com a vinda de Jesus. Ela é o poder de Deus em ação em nosso favor, a qual deve ser assumida pela fé, de acordo com as Escrituras. Esse mover do Senhor é suficiente para levar o perdido à salvação plena, libertar o dependente químico do vício ou curar o homem de qualquer enfermidade. A graça divina deve ser recebida com fé para realizar aquilo que Deus sonhou, e não displicentemente ou com ceticismo.

Pode parecer impossível, mas o homem pode aniquilar a graça de Deus sobre a própria vida. Uma vez que ele resiste ao Senhor, ou não dá à graça o valor necessário, pode fazer com que a ação do poder do Alto, a qual o próprio Deus determinou sobre seu viver, seja destruída. Se o Pai nos adverte desse perigo é porque ele é real. Quem comete tal loucura fica desamparado para lutar contra as adversidades, que, diga-se de passagem, não são poucas. Vale lembrar, meu irmão, que os infortúnios têm, atrás de si, o inimigo de nossa alma.

O nosso merecimento às bênçãos ocorre por ato de Deus, que nos amou de tal maneira que deu Seu único Filho para morrer em nosso lugar (João 3.16). Quando o Altíssimo nos abre o entendimento, podemos dizer que esse fato é um merecimento que Ele nos dá. Então, porque Ele nos ama, e só por isso, podemos reivindicar o que o Senhor nos promete, confiantes em Sua Palavra.

A morte de Jesus não foi inútil nem ocorreu por acaso. Foi Seu plano, o único que podia ser executado, para nos levar a Si mesmo. Desprezar o que o Filho de Deus fez por você é o maior pecado que se pode cometer, pois Ele deixou Sua glória e nasceu em nosso mundo, como um de nós, e essa Sua humilhação continuou até a morte na cruz do Calvário. Cristo tinha como propósito apenas nos resgatar para o Pai.

Se você se convencer de que o Senhor morreu em seu lugar e clamar o seu direito a todas as promessas das Escrituras, estará honrando-O. Ele declarou que honra a quem O honra (Romanos 13.7). Por outro lado, se desprezar o que o Mestre fez para que você fosse resgatado e tivesse, assim, a vida eterna, estará lançando-se nas chamas imortais de onde jamais sairá.

Quem vive pela fé confessa o que a Palavra diz a seu respeito e não aceita nada menos do que as Escrituras prometem. Por isso, essa pessoa agrada a Deus, e Ele, uma vez agradado, dá Sua força a ela. Viver da fé é preceito divino que todos deveriam assumir. Portanto, não viva pela Lei, mas, sim, pela certeza da fé.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares