21/06/2010 - NÃO VOLTE ATRÁS

“O nosso coração não voltou atrás, nem os nossos passos se desviaram das tuas veredas” (Salmo 44.18).
Era uma época de vergonha e tristeza, pois Israel estava sendo afligido pelos seus inimigos. O salmista relata a lamentável situação em que a nação se encontrava, mas ele afirmou que, mesmo com as derrotas e a aparente falta de ajuda que tinha dos Céus, o povo não se havia esquecido de Deus nem foi infiel ao Concerto feito com Ele. Esse tipo de atitude positiva em relação à Palavra do Senhor é que devemos tomar, pois nos faz alcançar o favor do Onipotente. Há coisas que não sabemos por que acontecem, mas esquecer-se do Senhor e ser infiel à Aliança jamais devem passar pelo pensamento do servo de Deus.
O coração dos israelitas não voltou atrás, em outras palavras: eles não pensaram em desistir. Não importa a prova pela qual você esteja passando, nem mesmo em seu interior aceite a sugestão de desistir. Quem admite pensar em “jogar a toalha”, voltar atrás em seu compromisso, enfraquece sua estrutura e, desse modo, não se sente à altura para enfrentar o inimigo. Quem tem uma “carta na manga” não obtém sucesso nas grandes batalhas, pois o seu coração não é fiel. 
Não importa quem vai contra você, não pare nem examine a possibilidade de ter de aceitar as condições e se render. As únicas condições que tem de aceitar são as que estão nas Escrituras; essas, sim, são obrigatórias. Em qualquer circunstância, avance. Não deixe o inimigo impressionar você com mentiras. Se for forte agora e repreender o mal que o ataca, Deus verá o seu empenho, sua firmeza em obedecer-Lhe e, então, Ele mesmo virá em seu socorro.
Os fracos sempre existiram e continuarão a existir. Os que não estão firmados na Rocha se apavoram com as investidas do maligno, com o tamanho dos problemas, e se esquecem de que Deus é infinitamente maior do que as forças que lhes sobrevêm (1 João 4.4). O segredo é não abandonar os caminhos do Senhor. 
O bom de tudo é que o Pai, o qual é por nós (Romanos 8.31), julgará a nossa causa. Se formos cumpridores dos Seus mandamentos, nós O teremos agindo em nosso favor, pois Ele é a Força de que precisamos para conseguir o sucesso almejado. Basta crermos em Sua Palavra e permitirmos que Ele lute por nós e nos dê a vitória. 
Os que aceitam a derrota jamais agradarão a Deus, mas os que partem para a batalha, confiando no cumprimento das Suas promessas, agradam-Lhe de fato. A opção de alegrar o Senhor com a nossa atitude, ou não, é nossa. Se O fizermos ficar satisfeito com as nossas decisões, a nossa força será grande.
Em Cristo, com amor,
R. R. Soares