23/10/2010 - TESTEMUNHO COM GRANDE PODER

“E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça” (Atos 4.33).

    É impossível entender como alguém pode falar de Cristo, mas não usar o poder que há no Nome dEle para libertar oprimidos, curar enfermos e operar maravilhas – prodígios que, justamente, levavam uma multidão a seguir Jesus (João 6.2).
    Ora, não se pode inventar alguma forma de realizar a obra divina, pois o Senhor nos deu o exemplo de como ela deve ser feita, afirmando categoricamente que aquele que nEle cresse faria as mesmas obras que Ele fazia (João 14.12). Sem o lado milagroso do Evangelho, o que resta é uma religião fria e morta.
    Foram maravilhosos os dias do ministério de Jesus aqui na Terra, assim como os tempos que se seguiram após Sua ascensão aos Céus, pois os discípulos, com poder, davam testemunho da ressurreição do Mestre. Para eles era importante que o fato de Jesus ter ressuscitado fosse comprovado pelos milagres, pois a verdade é que somente um profeta vivo é capaz de operá-los.
     Não podemos cair no mesmo erro da igreja do segundo século, que, durante o Império Romano, foi criticada por perseguidores do Evangelho, mas não compreendeu a ordem divina de que, na hora exata, teria direito à palavra, com a qual se defenderia. Então, ela desprezou o poder dado pelo Senhor a todos que são aceitos em Sua família, e grupos de apologistas – hábeis pensadores e escritores cristãos – passaram a se preparar intelectualmente para, com argumentos sólidos, tentar enfrentar aqueles que haviam sido levantados pelo diabo na tentativa de ridicularizar a fé cristã. Que triste engano! Aquelas pessoas temeram Plínio, um implacável perseguidor dos cristãos, e outros tantos, e se afastaram do Deus Todo-Poderoso, o Único capaz de lhes conceder sabedoria para levar as multidões a entenderem o plano divino.
    Na passagem que estamos estudando, vemos que os apóstolos liderados por Paulo davam testemunho da ressurreição do Senhor com grande poder. É dessa forma que sacudiremos o mundo! Não podemos envergonhar-nos do verdadeiro Evangelho, pois é nele que a justiça divina se revela. Somente a mesma Mensagem pregada pelo Senhor, no poder do Espírito Santo, pode levar aos pés de Cristo os idólatras, feiticeiros, ladrões, usuários de drogas, adúlteros, mentirosos etc.
    O que diferencia o Evangelho das religiões são os milagres, e a diferença entre o Senhor e os demais profetas das religiões é que somente Ele ressuscitou. Com a vitória de Cristo sobre a morte, inúmeras bênçãos nos foram providenciadas – como aconteceu com aqueles apóstolos, os quais passaram a viver em abundante graça. Já os outros profetas foram sepultados e lá permanecem, aguardando o dia do Juízo.
    Os que agiram segundo a direção divina, obedecendo aos Seus mandamentos, receberão o Galardão, mas, se apenas contaram “histórias” ou fizeram uso de palavras persuasivas para tentar salvar os perdidos, certamente, no grande Dia, darão contas a Deus por tais atitudes!

    Em Cristo, com amor,
    
    R. R. Soares