22/01/2011 - EM QUEM CONFIAR

“Não confieis em príncipes nem em filhos de homens, em quem não há salvação” (Salmo 146.3).

    Nós, os príncipes de Deus – que sempre fomos homens levantados por Ele e colocados na obra divina conforme Sua vontade –, temos a obrigação de sermos santos, separados do pecado, consagrados ao Senhor. Representamos o poder do Alto e, para isso, fomos empossados no santo ministério da Palavra. Portanto, como autoridades, precisamos fazer valer tanto os nossos direitos quanto os do povo. Temos a chave do Reino dos Céus para levar a Igreja de Jesus a ocupar o lugar determinado pelo Altíssimo para ela, sabendo que as portas do inferno não impedirão o nosso progresso. 
           Além disso, como príncipes de Deus, precisamos ter o cuidado de não deixarmos o poder subir à nossa cabeça e, consequentemente, discriminarmos ou prejudicarmos alguém. No mundo, encontramos pessoas que, apesar não servirem ao Todo-Poderoso, possuem caráter. Mesmo assim, não devemos confiar nelas – nem nos enviados do Pai. O próprio Senhor, inclusive, adverte-nos acerca desse fato (Jeremias 17.5), pois, infelizmente, é comum darmos muita importância e confiança a alguém que se destaque em alguma área e, desse modo, imitarmos os seus procedimentos. 
    Mesmo os que se sobressaem – quer no mundo, quer na Igreja – e, assim, passam a ser idolatrados por muitos não servem como referencial em nosso culto a Deus, porque em nenhum deles há salvação (Atos 4.10-12). Sendo assim, não é correto dar-lhes um destaque no serviço do Senhor nem utilizar, no púlpito ou no testemunho individual, seu nome e seus feitos. Ora, o que é nascido da carne é carne (João 3.6a), a qual, segundo Jesus, para nada presta (João 6.63)! Portanto, essas pessoas não fizeram mais do que a obrigação que pesa sobre cada um. Por outro lado, quem nada faz é que está em falta!
    A salvação eterna ou a libertação de qualquer investida maligna está em Cristo Jesus. Se dermos a qualquer ser humano o lugar que deve pertencer à santa Palavra, estaremos roubando das pessoas perdidas a oportunidade de se dirigirem ao Senhor e, assim, acertarem-se com Ele. O destino eterno de muitos pode ficar comprometido pelo fato de o homem teimar em não glorificar o Pai. Sempre seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso (Romanos 3.4).
    Meu irmão, uma coisa simples, mas de fundamental importância, é não desprezar a sua salvação nem trocá-la por nada. Não aceite coisa alguma que Satanás trouxer ou lhe oferecer – ainda que, para isso, ele, por exemplo, use a pessoa mais encantadora ou faça a oferta financeira mais atrativa. Veja sempre no diabo um malandro que quer enganá-lo.
    Deus cobrará de cada um de nós o que fizermos com a salvação que custou a vida do Seu único Filho. Como bem esclarece a parábola das dez virgens, os loucos estão deixando o azeite acabar em suas lâmpadas e, quando o Noivo vier, não participarão das bodas (Mateus 25.1-13). Portanto, se você se encontra nessa situação, dirija-se agora mesmo ao Senhor e confesse seus erros, antes que seja tarde!

    Em Cristo, com amor,

    R. R. Soares