15/02/2011 - O MESMO RECEIO

“Receio de vós que haja eu trabalhado em vão para convosco” (Gálatas 4.11).

    Tenho trabalhado de modo incansável nessas quase quatro décadas do meu ministério e tenho sido testemunha de grandes milagres realizados pelo Senhor. Um deles, por sinal, é ver o nosso país sendo transformado pelo poder de Deus. Quando me converti, éramos poucos em números, mas, hoje, a média nacional de evangélicos gira em torno de 30% da população. Há quem fale em um índice maior que esse, mas tenho de admitir que o mesmo receio que tinha Paulo também existe em meu coração.
    A instrumentalidade desse apóstolo levou-o a ganhar os gálatas para o Reino de Deus, no entanto, em vez de prosseguirem em conhecer o Senhor, tornaram-se religiosos, crendo em ensinamentos provenientes de pessoas que não conheciam o Altíssimo. Isso, porém, é perigoso, pois é muito mais do que fazer o que a Palavra não autoriza; é negar Jesus, o Filho de Deus, como o Senhor de sua vida.
    O mesmo pode estar acontecendo com você: a fé lhe foi revelada para torná-lo um servo maduro, o qual dá prazer ao seu Deus, mas, ao começar a guardar dias, meses e anos, por exemplo, afasta-se do Senhor. Ora, essas tradições servem apenas para manter nas mãos do inimigo quem as pratica! Foi para a liberdade que Cristo nos libertou (João 8.36).
    As criancices espirituais são sinais de que quem adota essa postura ainda não é pleno na fé. O Pai celeste espera que, com o passar dos dias, atinjamos a estatura do Seu Filho (Efésios 4.13). De fato, Deus não quer que continuemos limitados em nosso serviço a Ele, por isso precisamos crescer na graça, para que os perdidos vejam que o Caminho apontado pelo Senhor ao homem – o Evangelho – é a única opção para desfrutarmos das bênçãos que foram conquistadas para nós.
    Isso não significa que devemos evitar os que pensam o contrário, pois é dever nosso suportar os fracos. Quem aprende mais de Jesus tem a obrigação de viver como Ele vivia. O mundo espera mais do que simples discursos positivos. Temos a Palavra que criou os Céus e a Terra, a qual fará de nós pessoas como o nosso Mestre. Todo obreiro do Senhor deve trabalhar por um fim proveitoso. Portanto, seja próspero na fé; assim, você nos dará a alegria de vermos que não trabalhamos em vão.
    Em Cristo, com amor,
    R. R. Soares