19/01/2012 - QUANDO DEUS NÃO QUER PERDOAR

E, na verdade, conforme o mandado do SENHOR, assim sucedeu a Judá, que o tirou de diante da sua face, por causa dos pecados de Manassés, conforme tudo quanto fizera, como também por causa do sangue inocente que derramou, enchendo a Jerusalém de sangue inocente; por isso, o SENHOR não o quis perdoar.

2 Reis 24.3,4

Depois de Ezequias morrer, o reino de Judá conheceu uma porção de reis nada bons, com exceção de Josias, o qual agiu sabiamente. Manassés, filho de Ezequias, que o sucedeu, foi um dos mais perversos reis daquela nação. Tendo sucedido ao temente Ezequias, esperava-se dele um comportamento igual, mas ele agiu como um dos piores ímpios daquela terra.

Manassés foi completamente avesso ao Senhor, amando a idolatria implantada pela casa de Acabe em Israel; desse modo, manchou o povo de Judá com terríveis obras para afrontar o Deus vivo e santo (2 Rs 21.2,3). Por isso, ainda nos dias de Manassés, Deus disse que o preço a ser pago seria a destruição do povo de Jerusalém, a capital (2 Rs 21.10-16). Como são loucas e tolas as pessoas que afrontam o Senhor.

Seu péssimo exemplo contaminou toda a nação, a ponto de a Palavra declarar que eles fizeram pior do que as nações que habitaram Canaã, antes da chegada dos filhos de Israel (2 Rs 21.11). Por isso, teriam de pagar um preço bem caro pela desídia com respeito às instruções do Senhor. Não será diferente em relação às pessoas que, após terem sido salvas, iluminadas, deixaram o Altíssimo para seguir o caminho do erro.

Amom, que sucedeu a Manassés, também seguiu o exemplo de seu pai e, procedeu do mesmo modo, até que Joaquim foi colocado por Neco como rei de Judá. Embora eles fossem o povo de Deus, o Senhor não pôde perdoar-lhes pecados tão infames. Quando a situação chega ao ponto em que Deus – que é amor – não pode perdoar, nada mais pode ser feito (Hb 6.4-6; 10.26-31). Cuidado para que, por causa do desleixo com relação às coisas santas, isso venha a acontecer com você.

Não somos responsáveis pela tentação, mas, quando deixamos que ela se torne parte da nossa vida e alegramo-nos com ela, fazendo o que o diabo no oferece, passamos a ser responsáveis. No entanto, antes da queda, o Espírito de Deus tenta convencer-nos do pecado, mostra-nos o quanto temos errado e Se esforça para não nos deixar cair. Se não Lhe atendemos e insistimos na transgressão, o castigo será inevitável.

Não obstante Manassés ter obtido o favor do Senhor, isso não foi suficiente para que a decisão fosse anulada. Ele fora levado amarrado para a Babilônia, mas se arrependeu e buscou o favor divino. Então, Deus fez com que o monarca babilônico o devolvesse ao seu reino, mas, mesmo assim, a sentença divina pelas suas más obras não foi cancelada (2 Cr 33.11,13).

Não devemos ofender o Espírito de Deus. Se você tem caído em tentação, busque o quanto antes o perdão e, tendo-o alcançado, esforce-se para não mais voltar ao erro.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares