06/02/2012 - POR CAUSA DOS INIMIGOS

SENHOR, guia-me na tua justiça, por causa dos meus inimigos; aplana diante de mim o teu caminho.

Salmo 5.8

Por direção divina, o rei Davi fez essa oração e, depois, por ordem do Espírito Santo, ele a escreveu para que fosse para nós como um mapa do que deve ser feito, a fim de que encontremos a solução dos nossos problemas. O inimigo não nos dará trégua e, para que não se cumpra seu desejo imundo, temos de ser guiados pela justiça do Senhor. A obra que Cristo realizou no Calvário nos livrará do furor do adversário.

A justiça de Deus nos concede libertação completa, pois Jesus, que a realizou, sofreu toda a nossa condenação. Não importa o que o esteja tentando, ou o que o diabo já conseguiu fazer de mal em você; ao entender que sua libertação ocorrerá pela obra realizada pelo Mestre em seu favor, assuma seu lugar em Cristo e, assim, fique livre de todas as tentativas do império da maldade.

Os nossos inimigos são os demônios, os quais teimam em dizer que não conseguiremos livrar-nos de suas ações. Eles procuram tentar-nos com os mais sujos pecados e, mesmo que tenhamos resistido às suas investidas, eles colocam em nossa mente que o simples fato de termos sofrido a tentação já significa que caímos. Ora, o Senhor Jesus, por exemplo, foi tentado em tudo, porém jamais pecou (Hb 4.15). Na verdade, o cristão precisa conhecer seus direitos em Cristo, a fim de que não se deixe levar pelo engano do diabo nem esfrie na fé.

Nada do que os agentes do Inferno falam é verdade. O segredo para não deixar os pensamentos do maligno se instalarem em sua mente é firmar-se no que diz a Palavra de Deus. Dessa maneira, a fé voltará ao seu coração, e você poderá caminhar livremente. Do diabo só vem o que não presta, e tudo o que ele faz é enganoso; por isso, nunca dê a ele a menor atenção.

Lembre-se sempre do sofrimento de Jesus: Ele levou as nossas doenças, os nossos pecados e o castigo que nos traz a paz (Is 53.5). Não se submeta a nenhuma obra de Satanás. Saiba que, caso se desligue da justiça divina, você estará nas mãos do diabo; porém, firmando-se na revelação da Palavra, você se colocará nas mãos do Onipotente, onde o maligno jamais conseguirá oprimi-lo ou fazê-lo sofrer.

Ao pedir que o Altíssimo aplanasse o caminho divino perante ele, o salmista não estava dizendo que a vereda de Deus era tortuosa, mas que ele não conseguia enxergá-la de modo claro. De fato, se não for com a ajuda do Pai, nenhum mortal conseguirá ver tal caminho. Ele pediu que o Senhor guiasse seus olhos para que pudesse ver a estrada do bem e do sucesso. Quem faz a mesma oração não conhecerá o fracasso.

Precisamos também fazer tal oração sempre; do contrário, não conseguiremos avançar na vida espiritual. Somente com a ajuda divina, veremos a mesma trilha usada pelo nosso Deus e andaremos por ela. Uma vez tendo os olhos clareados, ou o caminho aplanado diante de nós, não tropeçaremos, mas, sim, acertaremos os passos.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares