04/05/2012 - O CONSENTIMENTO IGUALA AS PARTES

E o SENHOR disse a Moisés e a Arão: Porquanto não me crestes a mim, para me santificar diante dos filhos de Israel, por isso não metereis esta congregação na terra que lhes tenho dado.

Números 20.12

Arão, que foi incluído na obra por insistência de Moisés, participou ativamente de todas as etapas que culminaram com a libertação do povo de Israel da escravidão. Por isso, não somente sua recompensa seria como a de Moisés, mas também a responsabilidade. Cuidado para não concordar com o que é errado nem diga amém se não estiver de acordo com a oração de alguém, seja leigo ou pregador, pois não se brinca com Deus.

A princípio, o Senhor não tinha planejado que Arão estivesse na linha de frente da libertação dos filhos de Israel; a vacilação de Moisés fez com que Arão também fosse incluído. Não é bom pleitearmos a inclusão de uma pessoa, uma vez que, ao nos chamar para uma obra, o Senhor já nos equipou com o necessário. Alguém que não está no plano original pode influenciar-nos para que saiamos da plena vontade divina.

Desde o início, Arão era braço forte de Moisés. Sem dúvida, como seu porta-voz, ele participou de todos os eventos do Altíssimo no Egito. Não sabemos se alguma vez Arão serviu de conselheiro do homem de Deus; porém, sem dúvida, Moisés poderia ter feito a obra por si mesmo. Que isso sirva de lição a quem é convocado individualmente para cumprir uma missão. 

Quem coloca alguém como seu igual divide a recompensa; além disso, aquele que foi posto ao lado de quem foi escolhido deve lembrar-se de que também participará da responsabilidade. Moisés feriu a rocha duas vezes quando deveria ter-lhe somente falado. Contudo, por causa disso, Moisés e Arão foram proibidos de entrar na terra em que tanto creram e pela qual tanto fizeram.

Sempre examine o que você ouve, vê e fala, pois um simples descuido poderá levá-lo a uma punição. Não sabemos que participação teve Arão no fato de Moisés ter ferido a rocha duas vezes; entretanto, como Arão era o porta-voz do irmão, talvez tenha chamado os israelitas de rebeldes, o que não era mentira. Porém, os verdadeiros rebeldes foram ele e Moisés, por não terem obedecido à orientação divina.

Concordar com alguém que extrapola em determinada atitude faz você cúmplice de tal ato. Em minha mocidade, um dos pastores da denominação a que eu pertencia, ao orar, pedia a Deus que enviasse provações para a igreja. Como eu já vivia com tantos problemas, ao ouvi-lo clamar desse jeito, jamais dizia amém.

Se você for um daqueles que concordam com tudo o que ouve, receberá o que determinada pessoa pede para si. Por estar ao lado de Moisés, Arão teve negada sua entrada na Terra Prometida. Não se esqueça de que o consentimento iguala as partes.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares