17/08/2012 - SE ABRAÃO TIVESSE RECUADO

Mas o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.

Hebreus 10.38

Abraão buscou o Senhor quando sua geração praticava as mais baixas práticas espirituais. Então, ouviu a voz divina mandar que ele saísse de sua terra, da casa de seu pai, e fosse em direção a um local que Deus lhe mostraria (Gn 12.1). Mesmo não sabendo aonde ir, ele obedeceu à ordenança do Senhor, enfrentando uma dura viagem, com muitos desafios; todavia, não recuou, mas disse “sim” ao Altíssimo.

A seca trouxe fome para a terra em que ele estava; por isso, Abraão partiu para o Egito, onde sua esposa, Sara, foi tomada para ser mulher do Faraó (v. 14,15); no entanto, Abraão soube orar, e Deus o poupou de tamanho desgosto e desonra. Se ele tivesse tomado outra atitude, não teria agradado ao Altíssimo. O Todo-Poderoso, então, repreendeu Faraó, que lhe devolveu intacta a esposa (v. 18-20).

Abraão levou consigo seu sobrinho Ló, o que lhe causou problemas; afinal seus pastores não se entendiam com os de Abraão. Este poderia ter dito a Ló que fosse embora, pois fora ele quem recebera a missão divina. Contudo, deixou que o sobrinho escolhesse para onde iria, o qual escolheu a boa terra. Ao patriarca, entretanto, não restou alternativa a não ser ir para as montanhas (13.6-12). Quando o sobrinho foi levado cativo, Deus inspirou Abraão a ir libertá-lo (Gn 14). Pelo fato de ele ter obedecido ao Senhor, Deus lhe disse que sua recompensa seria grandíssima (15.1-6).

Enfim, o Altíssimo marcou o tempo para Sara ter um filho (v. 4). Como? Ela estava com 89 anos, e ele, 90. Abraão, 

em esperança, creu (Rm 4.18a) e não atentou para seu corpo já amortecido nem para a idade de Sara. Ele não se deixou enfraquecer na fé; antes, teve certeza de que Deus honraria Sua palavra. Se ele não tivesse dado crédito ao Senhor, o que seria de nós hoje?

O rei de Gerar também quis a mulher de Abraão (Gn 20.1-7), e, por conta disso, o patriarca podia ter desistido de seguir o Altíssimo, mas sua fé o fez ignorar os problemas do dia a dia. Ele era adulto o suficiente para saber que o inimigo tenta tirar a recompensa para que o servo não seja fiel ao Senhor. Se Abraão tivesse recuado, o prejuízo não teria sido apenas dele, mas nosso também.

Abraão obedeceu a Deus e permaneceu firme na fé – mesmo quando não havia um animal para o sacrifício –, disponibilizando assim seu filho Isaque para o ritual (Gn 22.1-18). O patriarca conquistou promessas, ganhou batalhas e, hoje, é chamado de pai dos que creem. 

De igual modo, seja forte, não desista! O que você fizer com sua fé em Deus será determinante para os seus e para muita gente. O Senhor o escolheu para ser fiel, conquistar e cumprir Seu plano em meio a uma geração adúltera e corrupta. O seu galardão está preparado, e o Senhor não falhará. Um dia, Jesus lhe dirá: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai (Mt 25.34b – ARA).

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares