02/10/2012 - QUANDO SE PERDE O CONSOLADOR

A sua imundícia está nas suas saias, nunca se lembrou do seu fim; por isso, foi pasmosamente abatida, não tem consolador. Vê, SENHOR, a minha aflição, porque o inimigo se engrandece.

Lamentações 1.9

As vestes espirituais foram-nos dadas pelo Senhor (Is 61.10). Com elas, cobrimos nossa nudez e, ao mesmo tempo, tornamo-nos formosos; porém, quando pecamos, nós as manchamos. No mundo espiritual, os anjos de Deus e os demônios veem que as temos contaminado. Por conseguinte, nossas determinações não são mais acatadas, e os demônios não mais nos obedecem, pois perdemos a força sobre eles.

Tudo começou quando Jerusalém deixou de temer o Senhor. Deus enviava Seus profetas para avisar que o fim viria, mas, como havia prosperidade e aparente paz, aqueles moradores sequer davam crédito aos que anunciavam o fim. O mundo hoje vive uma era próspera, e muitos estão achando que esse estado de coisas durará para sempre, sem prestarem atenção à mensagem de perigo iminente.

Como Jerusalém, há os que desprezam o conselho do Senhor. Porém, se continuarem assim, cairão de modo espantoso, serão penosamente abatidos, e, quando menos esperarem, o fim virá. Os que estão partindo sem a salvação já sentem o que lhes aguarda por toda a eternidade. Por isso, a Igreja de Cristo precisa envidar todos os esforços a fim de que essas pessoas se arrependam e não caminhem para a perdição eterna. Se agirmos sob a direção divina, salvaremos muitos.

O Espírito do Senhor não contenderá para sempre com o homem (Gn 6.3). Quando o coração se fecha para a voz divina, Deus abandona a pessoa no seu erro. Que triste será se o Espírito Se afastar de você! Hoje, Ele é o nosso Consolador, atuando exatamente como Jesus nos dias do Seu ministério terreno. Quem der ouvido às Suas palavras verá que a mão divina o ajudará a se erguer e a fazer o que lhe renderá frutos pela eternidade.

O profeta estava aflito, pois conhecia o destino do seu povo naqueles 70 anos de cativeiro (Jr 25.11). Quantas vidas se perderiam, quanto sofrimento o povo santo experimentaria! Diante disso, ele suplicou para que o Senhor visse sua aflição. Quando sentimos alguma direção para orar pela obra de Deus, ou pelo povo santo, devemos levar isso a sério. Como a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos (Tg 5.16), nós conseguiremos mudar a vida de muitos.

Jeremias viu o inimigo se engrandecendo. Por termos o Espírito Santo, ao sentirmos que alguém está prestes a passar por algum tipo de sofrimento e ao percebermos que o diabo está perto de triunfar sobre a vida de uma família, região ou nação, logo precisamos clamar ao Senhor. Ora, Satanás tem de perder sempre, e os que amam a Deus devem sempre crescer, prosperar e tornar-se felizes.

A cura da nossa geração está em nossas mãos. Na verdade, o Senhor não gostaria de enviar ninguém para o Inferno. Ele não quer que ninguém se perca. Então, por que não cooperar com Ele e salvar alguns, arrebatando-os do fogo?

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares