01/11/2012 - ATOS QUE FALAM NA PRESENÇA DE DEUS

Tendo testemunho de boas obras, se criou os filhos, se exercitou hospitalidade, se lavou os pés aos santos, se socorreu os aflitos, se praticou toda boa obra.

1 Timóteo 5.10

Certas atitudes nossas são reputadas como nada, mas, diante de Deus, elas têm grande reconhecimento. As pessoas podem não ver muito em você, porém, se você não é egoísta, alguém que só pensa em si, mas cria os filhos no temor do Senhor, exercita a hospitalidade, “lava” os pés dos santos, socorre os aflitos e pratica toda sorte de boa obra, o seu conceito está alto nos Céus.

Por ordem do Espírito Santo, o apóstolo Paulo proibiu que fosse inscrita para receber amparo da igreja a viúva com menos de 60 anos de idade e que tenha sido esposa de mais de um marido (1 Tm 5.9). As viúvas deveriam ser recomendadas pelas suas boas ações em favor dos necessitados. Aquelas, porém, que não se encaixassem nessas orientações ficariam de fora da ajuda da igreja. Por essas orientações, vemos que a obra de Deus deve ser tratada de modo sério. 

A verdade é que a igreja não é uma associação de caridade nem um ajuntamento de pessoas vivendo dos dízimos e das ofertas. Mesmo na divina família, vemos pessoas não tementes ao Senhor, que desperdiçam a vida em frivolidades e no pecado. Então, quando surge um problema, há quem ache justo dar a essas pessoas o que é entregue para a realização da obra do Senhor. 

Segundo Paulo, ter criado filhos é outra qualificação necessária para se candidatar à ajuda na casa de Deus. Entretanto, nos nossos dias, há alguns que sequer querem ter filhos. Argumentam que crianças dão muito trabalho e os impedem de crescer profissionalmente. Ora, criar filhos é uma das tarefas mais lindas e de muita importância diante dos olhos do Senhor. Afinal, os filhos são Sua herança (Sl 127.3).

Hoje, a hospitalidade física é um pouco arriscada, porém, quando o Altíssimo manda, não há perigo que nos deve afastar da obediência. O lavar dos pés era necessário nos dias bíblicos, mas o ato de humilhar-se e “lavar” os pés dos servos do Senhor é muito recompensador. Temos também de socorrer os aflitos, aqueles que se deixam levar pelas provações. Enfim, o servo de Deus deve ser zeloso em toda boa obra.

Muitas são as pessoas que se têm tornado levianas contra Cristo. Por um casamento, há quem, por exemplo, tenha a coragem de abandonar o ministério, tornando-se condenável por desistir da sua missão. Em nós não deve haver ociosidade, fofocas nem intrigas, falando do que não convém. Todos nós devemos casar-nos e ser bons administradores do lar, não dando ao adversário motivos para falar de nós nem abrindo mão do nosso chamado divino. Agindo assim, as pessoas não servirão a Satanás.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares