31/08/2014 - APRENDENDO COM OS VENCEDORES

Tendo, pois, tal esperança, usamos de muita ousadia no falar.

2 Coríntios 3.12

É importante conhecer o que pensa e como age a pessoa colocada como seu mestre (1 Jo 4.1). Muita gente sequer se converteu e já dá lições de como adorar a Deus e conseguir as mais diversas bênçãos, desde o perdão de pecados até a cura de enfermidades. O triste é quando um líder consagra um recém-convertido ao ministério e, com isso, a obra divina é ridicularizada. No entanto, ambos serão julgados.

Jesus era positivo e firme em tudo o que falava, pois executava as ordens do Pai (Jo 8.28). É evidente que o nosso Mestre, que criou todas as coisas, tinha capacidade para falar a respeito de qualquer assunto, mas Ele esperava a ordem de Deus para Se pronunciar. Também devemos ter essa prudência. Quando for tomar alguma decisão, busque primeiro a direção do Altíssimo.

A vontade do Onipotente está registrada em Sua Palavra. Erra quem não aceita as orientações das Escrituras e, por isso, clama para se certificar de que aquilo representa o propósito divino. Primeiro, porque já sabe qual é; segundo, porque não o cumpre. Ora, essa pessoa não encontrará desculpas no Dia do Juízo. Jesus disse que não julgará ninguém, mas quem fará isso será a própria Palavra enviada por Ele (Jo 12.47,48).

As palavras são como sementes que, se plantadas, darão uma colheita. As tentações enfrentadas por você, mesmo que sejam idênticas às que sofrera, desenvolvem-se no decorrer dos tempos. Caso os desejos errados não sejam repreendidos, aumentarão e, depois, serão considerados normais. Se os repreender, e eles não saírem, ore para se livrar deles (Mt 6.13); do contrário, em pouco tempo, estará atendendo-os.

Ao descrever a beleza e formosura da Igreja, o escritor de Cantares declarou que o teto da revelação nos foi dado como o bom vinho do Amado, que se bebe suavemente e faz com que os lábios dos que dormem, ou que estão velhos na fé, falem (Ct 7.9). Esse versículo mostra que será revelado ao povo de Deus o necessário. O entendimento dado por Deus em Sua Palavra é a verdade na qual você deve crer.

Se crermos, devemos anunciar a nossa convicção no mesmo espírito de fé (2 Co 4.13). Sem dúvida, não somos coitados, marginalizados e esquecidos pelo Senhor; ao contrário, representamos Seu povo nesta geração e, como tal, precisamos proceder. O que os heróis da fé conseguiram em seus dias podemos ter também. Na verdade, temos condições de fazer mais que eles e igualar ou superar até as realizações do Mestre (Jo 14.12).

Eis que Deus é a minha salvação; eu confiarei e não temerei porque o SENHOR JEOVÁ é a minha força e o meu cântico e se tornou a minha salvação (Is 12.2). Não nos falta nada para vencermos as investidas do inimigo contra a nossa vida. Ao cristão só basta crer para verdadeiramente fazer acontecer. Quem é de Deus não pode se deixar oprimir por coisa alguma (1 Jo 5.18). Agora mesmo, liberte-se para sempre.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares