18/10/2014 - QUANDO A BATALHA TERMINA

E os homens de Israel saíram de Mispa, e perseguiram os filisteus, e os feriram até abaixo de Bete-Car.

1 Samuel 7.11

As suas batalhas contra o pecado, ou as doenças, têm de ser travadas até não mais existir nenhum traço do maligno em sua vida. Se você ganhar 99% da luta, mas ignorar 1%, por certo Satanás se reagrupará, refazendo suas forças e estratégias. Então, em um momento de um descuido seu, voltará com mais vontade de vencer você. O maior desejo do inimigo é fazê-lo submeter-se à vontade destruidora dele.

Temos de perseguir os nossos adversários incansavelmente até serem aniquilados, de modo que jamais tenham condições de nos atacar novamente. O diabo só se levanta contra nós com intuito de roubar, matar e destruir (Jo 10.10a). Por isso, não é bom considerá-lo inofensivo ou fraco para nos derrubar. Por trás de todo espírito maligno, há o poder infernal!

O certo é resistir ao mal que o atacou até vê-lo cair e ficar debaixo de seus pés. Essa era a atitude que Davi tinha para com seus inimigos. No livro de Salmos, ele diz que os perseguia a fim de alcançá-los, colocando-os em posição de derrotados, até os ter consumido (Sl 18.37,38). O rei só considerava a batalha ganha quando atravessava os seus adversários. Do mesmo modo, temos de lutar até o golpe final.

Esse “cair debaixo” é simbólico e significa acabar com o inimigo. Isso ocorrerá quando você estiver cheio da presença de Deus. Então, em seu coração, você sentirá que o mal perdeu e saiu por completo. Enquanto a alegria da santidade, da saúde e de todas as bênçãos não estiver presente em sua vida, ainda haverá muita luta. Andamos por fé e não pela vista (2 Co 5.7), e essa alegria vem exatamente pela fé, como sinal de que Jesus nos visitou.

Os filisteus chegaram à peleja, mas o Altíssimo tomou a dor dos israelitas devido à confiança que tinham nEle. Quando parecia que o povo de Deus seria destruído, o Senhor enviou uma forte tempestade, e, assim, os inimigos fugiram apavorados. Os mais variados meios de o Onipotente nos ajudar surpreendem o maligno, que, em hipótese alguma, poderá fazer frente à resposta do Alto. No caso dos filisteus, ela foi até branda.

É bom e muito produtivo confiar no Pai celeste, pois Ele fará o necessário para nos dar a vitória. Certamente, o nosso Deus saberá produzir “tempestades” iguais a essa ou piores. Ainda desconhecemos o que acontece no mundo espiritual quando o Altíssimo Se levanta para nos abençoar, mas é algo grande. Precisamos cumprir Suas orientações, a fim de que nosso pedido seja atendido, e o sucesso, inevitável!

A luta terminou com Samuel colocando uma pedra (v. 12), a qual dizia que, até aquele momento, o Senhor os tinha ajudado. Após a peleja, devemos celebrar a vitória cultuando o Altíssimo. Esse ato marca que o nosso território está livre dos adversários. Se permanecermos na fé, impossibilitaremos o diabo de voltar a nos atacar.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares