14/11/2014 - O PODER DO PECADO

Os loucos zombam do pecado, mas entre os retos há boa vontade.

Provérbios 14.9

As Escrituras chamam de loucas as pessoas que não se importam em pecar e, desse modo, não guardam os preceitos divinos. Isso não tem nada a ver com preceitos religiosos, e sim com a Palavra de Deus. A rebeldia às normas do Senhor leva quem se dá a ela a se submeter ao espírito da loucura e, por conseguinte, ao domínio do diabo. Não há obra pior do que se fechar para as convicções concedidas pelo Santo Espírito. O louco tem prazer em transgredir.

Pecar é como assumir o caráter e a personalidade do diabo. Quem assim o faz mostra que não respeita o Senhor. Essa pessoa é considerada insensata por não medir as consequências de suas atitudes. Então, em vez de ter o Todo-Poderoso como seu Deus, ela se coloca debaixo da autoridade do maligno, sendo guiada pelo ser que é mau de coração e não faz bem nem mesmo para aqueles que lhe servem. Definitivamente, trocar o bem pelo mal é uma péssima decisão.

Ao obedecer à tentação, a pessoa se vê possuída pelo espírito da insanidade. A partir desse momento, a natureza do inimigo a levará a experimentar situações ruins (Sl 42.7) e, se não houver arrependimento, ela terá interesses cada vez mais mundanos. O maligno não a deixará viver em paz e, embora ela se esforce para sair de seu poderio, só conseguirá se tiver ajuda divina. Todos aqueles que amam o mal são afligidos por ele.

O pecado paga salário a quem se dá a ele. A Bíblia nomeia essa recompensa de morte – o afastamento de Deus (Rm 6.23). Quem se entrega ao pecado percebe que nada de bom funciona em sua vida, mesmo que lute com todas as suas forças para melhorá-la. Se você ceder à tentação e não se voltar para Deus, a cada dia, ficará mais distante da felicidade. Então, chegará o momento em que sequer se lembrará do Altíssimo e, caso mantenha essa postura, será condenado ao suplício eterno.

Quem comete um ato pecaminoso e deixa de confessá-lo será punido, pois as Escrituras declaram que o pecado localizará aquele que se entregou a ele, mesmo que a pessoa pense que tal ação jamais será descoberta. Quando Deus mandar a iniquidade encontrar o seu autor, nada ficará escondido e, nesse momento, não haverá compaixão, misericórdia, perdão nem salvação para o pecador que não se arrependeu. Compensa permanecer no erro?

Se você atender a tentação, irá se tornar servo do demônio que o tentou e, a partir de então, trará a marca daquele “senhor” estampada em sua personalidade. Isso é o pior que pode lhe acontecer, porque, além de ficar longe do Pai, o seu novo senhorio mandará na sua vontade e nos seus desejos. Com isso, o sofrimento lhe será algo comum.

Os retos não se desviam das orientações da Palavra e, com a maior naturalidade e firmeza, dão atenção às advertências do Todo-Poderoso. É muito importante vigiar e orar para não aceitar as “ofertas” de Satanás (Mt 26.41), o qual quer tê-lo em suas mãos. Fuja das mentiras do inimigo e se conserve como servo da justiça. Jamais brinque com sua felicidade eterna.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares