12/01/2015 - PROVA DE ARREPENDIMENTO

Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti.

Lucas 15.18

Tomamos muitas atitudes impensadas e, depois de certo tempo, obtendo sucesso ou fracasso, chegamos à conclusão de que elas não foram boas. No entanto, diversos irmãos, mesmo percebendo que erraram, por vergonha, orgulho ou outro motivo torpe preferem comer a comida dos porcos a voltar e pedir perdão (Lc 15.16). Eles não entendem que essa ação insensata os mantém na pior escravidão – a espiritual – e, por isso, sofrem nas mãos do inimigo.

O arrependimento leva a pessoa a pedir perdão. Se tal pedido for de coração, significa: “Reconheço o meu erro e pagarei pelo que fiz. Estou arrependido e prometo não fazer nada semelhante. Por isso, peço ajuda, misericórdia e tudo o que for necessário”. Esse ato restaura o ofensor à comunhão com o Todo-Poderoso e as demais pessoas. Arrepender-se e crer no Evangelho são ordens de Jesus.

Por trás de todo procedimento errado, há um espírito maligno que ganhou a batalha pela vida daquele indivíduo. O demônio está ali para matá-lo, roubá-lo e destruí-lo (Jo 10.10a), e não somente para se esconder atrás do pecado dele. Não podemos fechar os olhos e fingir que não sabemos disso; ao contrário, devemos enfrentar com as armas da justiça e libertar tal vida. Muitos, mesmo sendo usados por Deus, de algum modo, ainda estão debaixo do jugo maligno.

Alguns erros são fáceis de ser perdoados; outros não. As etapas do pedido devem ser como as usadas pelo filho pródigo: levantar-se, ir ao encontro do pai, dizer toda a verdade, reconhecer ser indigno de ser chamado de filho e pedir tratamento de servo. Essas atitudes permitem que o amor de Deus restaure a nossa comunhão. De igual modo, precisamos exercer a misericórdia com quem errou contra nós.

Ao voltar, o filho pródigo descobriu o que jamais notara: seu pai era realmente bom, apesar de o rapaz tê-lo feito sofrer com sua maldosa escolha. Essa história, contada por Jesus, é uma mensagem forte e poderosa de como o amor divino trata quem erra, pois a recuperação desse jovem mostra o que o Altíssimo deseja fazer com qualquer pecador. A restauração de uma vida é um milagre muito maior do que a cura de uma doença incurável.

O coração do pai não se continha de tanta satisfação ao ver o filho que se havia perdido, agora, de roupas novas, calçando o sapato preparado para pisar em serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo (Lc 10.19) e com o anel, símbolo do poder familiar. Não é somente Deus que Se emociona com a restauração do pecador, mas também os anjos nos Céus, que, pela envergadura desse ato, fazem uma festa de louvor ao Onipotente (Lc 15.7).

É preciso mostrar essa prova de arrependimento para a pessoa que você traiu. Com isso, o mais indigno pecador também procurará endireitar-se com o Altíssimo e, desse modo, Ele ficará feliz e realizado. A sua decisão de se arrepender ou conceder perdão a alguém é o ato mais importante da sua vida. Portanto, honre o Senhor. 

Em Cristo, com amor, 

R. R. Soares