26/09/2016 - MANTENHA O CONTATO COM O SENHOR

E descerei contigo ao Egito e certamente te farei tornar a subir; e José porá a sua mão sobre os teus olhos.

Gênesis 46.4

Várias vezes, na caminhada de Jacó, o Senhor prometeu estar com ele aonde quer que fosse e, agora, quando desceria ao Egito, o Todo-Poderoso reafirma Sua promessa. Com isso, Jacó não deveria temer ir ao país de faraó, pois Deus estava naquele negócio. Se isso ocorreu com o patriarca dos hebreus, por que não acontecerá conosco tantas vezes que O procurarmos pedindo ajuda? Na verdade, nossas decisões devem sempre ser comunicadas a Ele.

Quando o Senhor vai conosco a algum lugar, somos guardados por Ele. Dessa maneira, se tínhamos alguma dúvida se devíamos ou não fazer determinada viagem, não a temos mais. Por outro lado, se Deus não prometeu nos acompanhar, temos de desembarcar e não dar mais nenhum passo. Andar sem a presença dEle é como procurar problemas, pois o inimigo, ao saber que estamos sós, nos atacará e, talvez, não lhe possamos resistir.

Mesmo com Deus ao nosso lado, ou à nossa frente, é preciso cuidar para não deixarmos o medo nos assaltar; caso contrário, Ele não poderá nos socorrer. Ora, por que temer se o Todo-Poderoso promete ir conosco? Se houver uma surpresa desagradável, basta pedir que Ele entre em operação, pois foi essa a razão de ter prometido estar conosco na jornada. Tenho certeza de que, na eternidade, o Altíssimo nos mostrará o quanto nos auxiliou. Aleluia!

O Senhor afirmou que faria Jacó tornar a subir a Canaã, mas essa parte não foi cumprida em vida, porque ele morreu no Egito. O seu corpo foi embalsamado e levado até Canaã, onde foi sepultado. Somente no Céu, saberemos se o próprio Jacó preferiu ficar no Egito mais algum tempo. Há coisas que não entendemos agora, mas, um dia, saberemos.

A morte de Jacó foi muito linda. Ao sentir ter chegado o momento de se congregar aos seus pais já mortos, ele abençoou cada filho, profetizando como viveriam. Então, encolheu os pés e expirou. José se lançou sobre ele e o beijou (Gn 50.1), cumprindo a Palavra. O Senhor declara que a morte dos Seus santos é preciosa diante dEle (Sl 116.15), por isso não há o que lamentar quando da partida de quem serviu a Deus em espírito e em verdade.

Hoje, não temos de invocar as bênçãos dadas a Abraão, Isaque e Jacó, posto que delas somos herdeiros, mas somente as concedidas a Cristo. Como temos de fazer as mesmas obras feitas por Ele e por sabermos que elas foram completas em Seu ministério, ao invocarmos o Deus e Pai de nosso Senhor e Salvador Jesus, entramos na posse daquilo que foi concedido ao Senhor. Afinal, fazemos parte do Corpo de Cristo, e Deus nos honrará nEle.

Jesus aperfeiçoou a promessa feita aos patriarcas, ao declarar estar conosco todos os dias até a consumação dos séculos. Verdadeiramente, temos o melhor dEle durante toda a nossa caminhada sobre a Terra, pois contamos com a presença do Filho, que é Deus com o Pai e, portanto, o Todo-Poderoso, a quem foi dado todo o poder no Céu e na Terra. Amém?

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares