05/11/2016 - PRAGAS ANUNCIADAS

Porque, se não deixares ir o meu povo, eis que enviarei enxames de moscas sobre ti, e sobre os teus servos, e sobre o teu povo, e às tuas casas; e as casas dos egípcios se encherão destes enxames, e também a terra em que eles estiverem.

Êxodo 8.21

Quando uma pessoa tem dentro de si um amor ao maligno, não adianta ameaçá-la com um perigo iminente, porque ela não esmorecerá. Moisés foi gentil com o rei do Egito, avisando que o fato de não deixar os filhos de Israel livres acarretaria outras pragas piores. Como Faraó não deu atenção a esse recado, toda a sua nação pagou uma alta conta. O mesmo ocorre com a família de quem não ouve o Senhor.

A praga dos piolhos foi terrível (Êx 8.17), e não houve um só egípcio que não tivesse sido infestado por ela. Quem endurece a cerviz e não se dobra ante a Verdade descobrirá, agora e na eternidade, não ter valido a pena viver em rebeldia à Palavra do Criador. O diabo tem tentado muitas pessoas, e elas, como lhe dão ouvidos, terão problemas.

Quando o Senhor faz uma revelação, ela não é somente a verdade, mas também algo que alguém precisa saber ou fazer para se livrar das ações do inimigo. Portanto, fique bem atento aos registros bíblicos; se não agir conforme eles prescrevem, poderá perder a grande oportunidade da sua vida. A Palavra enviada traz com ela o poder para libertá-lo completamente.

Aos olhos do homem, Moisés foi atrevido por ter descoberto onde o Faraó se banhava e ido até lá para “ameaçá-lo”. No entanto, era o Senhor quem o fazia entender o que sofreria ao desobedecer às ordens divinas. Quem ouvir o recado do Altíssimo, mas não der a devida atenção, será o único responsável pelo que lhe ocorrerá. O Criador tem autoridade sobre toda a Sua criação.

Faraó não esperava que Deus começasse a afligir somente os egípcios, separando os israelitas dos males que viriam. A partir desse dia, não mais aconteceria com o povo de Deus o que sucedia com os ímpios. Isso deve ser entendido como uma palavra dos Céus para os filhos de Deus; tem de haver uma diferença entre o santo e o ímpio.

Esse fato também prova que tudo o que há nos dois mundos – o físico e o espiritual – reconhece o Senhor, desde as moscas até as espessas trevas, as quais assolaram toda a nação dos egípcios, mas não estavam presentes nas casas onde habitavam alguma família hebreia (v. 22). Diante disso, temos uma base para clamar por nossa imunidade diante de epidemias, acidentes da natureza e dos demais infortúnios.

Se o Senhor lhe disser algo, não deixe de atendê-Lo, porque, por certo, aquilo acontecerá. Assim, quem cumprir o mandamento ordenado por Ele terá algo prometido. Quando Ele determina algo, também há punição para quem não Lhe obedece.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares