17/04/2017 - A IMPORTÂNCIA DE ENGRANDECER O SENHOR

O SENHOR é conhecido pelo juízo que fez; enlaçado ficou o ímpio nos seus próprios feitos. (Higaiom; Selá) 

Salmo 9.16

Um dos homens que mais foi usado por Deus foi Davi. Ainda jovem, ele descobriu que o segredo para ser um instrumento nas mãos do Senhor era meditar na Palavra. Agindo assim, começou a entender a vontade divina. Depois de colecionar tantas vitórias com o que aprendera, o Altíssimo o levou a escrever de modo simples tudo o que precisamos conhecer para nos tornar vencedores nas batalhas das quais participarmos. Davi jamais foi vencido ou ferido nas lutas. Aleluia!

Ao descrever o seu segredo, o filho de Jessé convidava as pessoas a fazer o Altíssimo conhecido pelo juízo que fizera, pois isso era que o tornava ser vencedor. Enquanto o Senhor não “crescer” no seu interior, você não terá forças para derrotar os males. O que o Pai celestial representa para você? Seria um ser sem capacidade de dar fim aos seus problemas? Ora, você pode contar com os juízos do Altíssimo para se nortear sempre.

Durante o cumprimento de uma missão dada por Deus, um cristão pode se sentir preparado para enfrentar o Inferno e mostrar que só o Senhor é Deus. Porém, ele fatalmente será derrotado se, diante de uma situação inusitada, usar o que lhe vier à cabeça. Os que aprenderam com os vencedores do Altíssimo, cujas experiências estão na Bíblia, devem orar até se sentirem na presença dEle e, então, entrar na peleja. 

Isso ocorreu com Elias, que foi morar na casa da viúva de Sarepta de Sidom, a pessoa que havia sido ordenada para sustentá-lo (1 Rs 17.9). Na verdade, foi ele quem a sustentou com a Palavra que o Senhor lhe dera. Tempos depois, o filho da viúva faleceu, e ela foi ao profeta reclamando que este viera revelar os pecados da mocidade dela e, por isso, seu filho morrera. Como não se sentia preparado para aquele evento, ele orou a Deus, e, então, o menino voltou à vida. Que lição!

É incrível, mas, algumas vezes, os servos de Deus são surpreendidos por algumas coisas ruins e, por não se livrarem delas, sentem-se incapazes de continuar a servir-Lhe. No caso que acabamos de ver, o menino adoeceu, e não sabemos se a mãe pediu a Elias que orasse por ele. No entanto, quando não tinha mais jeito, ela viu que a lembrança dos antigos pecados, que sentia ao olhar para ele, era como um toque divino, e o ligou à morte do menino.

Depois de entrar em comunhão, Elias se mediu sobre a criança três vezes, clamou a Deus, e disse: Ó SENHOR, meu Deus, rogo-te que torne a alma deste menino a entrar nele (1 Rs 17.21). A sua oração foi atendida. A alma do menino tornou a entrar nele. Já Pedro estava em Lida fazendo a obra. Alguns de Jope pediram que ele fosse até lá, pois Tabita, uma discípula, havia morrido. Pedro foi ao local e orou e, em seguida, disse à morta que se levantasse, e ela obedeceu (At 9.40).

O propósito de todo sucesso que obtemos na fé é exaltar o Nome do Senhor. Por isso, temos de torná-Lo grande em nós mediante o entendimento da Palavra e a firmeza na fé. É preciso haver diferença entre nós e os ímpios. Não podemos louvar a Deus somente com os lábios, mas em Espírito e em verdade. Vês aí, teu filho vive (1 Rs 17.23). O que você fará?

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares