15/12/2017 - A PREPARAÇÃO PARA SERVIR

Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testificamos o que vimos, e não aceitais o nosso testemunho.

João 3.11

Todo novo convertido pode estar certo de que não foi aceito no Reino de Deus para ficar de mãos vazias – o Senhor tem um plano para a vida dele. Acreditar que o Altíssimo gosta de ver algum dos Seus na ociosidade é aceitar que um dos seus próprios filhos não precisa trabalhar, e os outros o sustentarão sempre. Deus é melhor Pai do que nós. Os mandamentos dizem respeito a todos, e, quando os cumprimos, provamos o nosso amor a Ele.

É preciso ler a Bíblia, meditar nela e aprender Seus ensinamentos, a fim de poder falar dela às pessoas em suas crises ou necessidades. Quando o inimigo tenta você, ele não o faz por brincadeira. Se você não souber agir, como repreenderá o maligno na Palavra? Por certo, ele não lhe obedecerá. Fazer a oração da fé é como estar no tribunal da Verdade e, à feitura do tribunal do homem, quem não sabe o seu direito ou se cala perde a ação. Advogue bem a sua causa.

Quem conhece a Verdade não teme as calúnias das quais é vítima, nem teme comparecer diante de um juiz. Quando o faz, prova calmamente que o que dizem dele é mentira, e sai de lá com a vitória. Quem não se prepara para se defender, diante das mentiras com as quais é acusado, fica nervoso. Então, ao se explicar, leva o juiz a convencimento errado, e a sentença sai contra ele. Prepare-se para não deixar o diabo, o acusador, ganhar alguma batalha contra você.

Outro fator a ser bem entendido é o seguinte: testificamos o que vimos. Jesus afirmou que não podia fazer nada sem ter visto o Pai fazer primeiro. Se devemos realizar as mesmas obras de Cristo, precisamos ter a visão e as ferramentas usadas por Ele. Ao ler o Livro Santo, o Mestre entendia o que o Pai estava fazendo. Por isso, diante das pessoas, Ele determinava que paralíticos, cegos, mudos, surdos, coxos e demais enfermos e oprimidos fossem curados e libertos.

Quem observa os feitos do Senhor se torna uma boa testemunha. Assim, quando for abençoar alguém, fará isso na certeza de que a bênção virá. Por outro lado, aquele que não os vê confessa não entender a razão de nunca ser atendido e, por isso, nunca desfruta do resultado das promessas bíblicas. Cada ação nossa, sob a direção do Altíssimo, deve servir de testemunho para Ele ser louvado ou para a condenação de quem não crê. A coisa é mais séria do que pensamos!

Jesus disse a Nicodemos que Ele e os discípulos falavam do que sabiam e testificavam do que tinham visto – aprendido com o Pai. Este é o ponto em que todos os seguidores do Salvador devem chegar: fazer a obra com o que sabem e testificar do que têm visto. Nenhum cristão, que é testemunha do Senhor, deve falar o que Ele não mandou nem testificar do que não viu. O nosso testemunho precisa ser dado somente com o que temos aprendido do Senhor. 

Quer aceitem ou não, todos devem saber que uma verdadeira testemunha de Cristo esteve entre eles. Agora, se não temos obras para corroborar a pregação, como o Mestre tinha, não estamos servindo ao Cristo das Escrituras. Seria outro evangelho o que temos pregado? Ora, as palavras de Jesus jamais serão mudadas, mas cumpridas. Examine-se e obedeça!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares