17/03/2018 - VERDADE DESDE O PRINCÍPIO

A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre.

Salmo 119.160

Não há nada que possa contra a Verdade, pois ela é o próprio Deus. Ao iniciar a criação do mundo, o Senhor falou, e a Palavra fez tudo conforme a vontade dEle. Jesus é o Verbo que estava no princípio com Deus, e era Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez (Jo 1.1-3). Para que Seu amado Filho viesse, a Palavra deixou as Suas prerrogativas divinas e nasceu em Belém como um bebê indefeso.

Tudo pertence à Palavra, já que foi ela quem criou todas as coisas segundo a ordem do Pai. Por isso, é triste quando o cristão mente. Ainda que essa pessoa considere a história contada apenas como uma mentirinha, está pecando contra o Salvador, que é a Verdade. Toda mentira é contra Jesus. Quando alguém entende o que Deus lhe falou pelas Escrituras, mas não crê nelas nem as executa, comete grave pecado, pois O faz mentiroso (1 Jo 5.10).

No princípio de tudo, quando não havia nada além do Senhor, Ele deu início à criação: primeiro, da vida espiritual; depois, do mundo material. O Filho de Deus – Cristo – é eterno como o Pai. Ele subsiste com o Criador e, após ter realizado a obra da nossa salvação, o Pai Lhe entregou todo o poder nos Céus e na Terra. Agora, Cristo é o Soberano Comandante do poder divino e, quando voltar para nos buscar, será o Juiz de todos.

Desde o início, a Palavra é a Verdade e continuará assim eternamente. Jesus é a Palavra de Deus que Se encarnou. Quando Ele ofereceu Seu sangue para nos livrar da perdição, resgatou-nos das mãos do diabo (Gl 3.13). Agora, o Mestre está assentado à direita do Pai, e nós, que recebemos a fé, estamos assentados nEle (Ef 2.6). Assim, não devemos pecar. Caso contrário, sairemos dessa posição de privilégio e responsabilidade!

Cada um dos juízos – obra feita por Cristo em favor da humanidade – dura para sempre. Portanto, não há necessidade de Deus colocar de novo os nossos pecados sobre o Seu Filho, pois Ele fez isso uma vez e de maneira definitiva. Ao crermos que fomos substituídos por Jesus, devemos repreender os males, exigindo que saiam em Nome dEle. Em seguida, precisamos ter a certeza de que fomos atendidos, pois é impossível que a Palavra falhe.

Independentemente da passagem dos anos, os juízos de Deus continuarão como foram feitos. É nossa obrigação agir soberanamente em tudo o que diz respeito à nossa vida, expulsando os males que tentam existir em nós, desde um pensamento pecaminoso a uma prática imoral. Quem não se assumir segundo as Escrituras passará por aflições.

Ao entender qualquer juízo realizado em seu favor, porte-se como se o efeito dele já estivesse operando em sua vida. Sabendo da imutabilidade de Deus e de Seus juízos, viva descansado, mas vigiando e orando para não cair em tentação. O diabo não conseguirá impedi-lo de desfrutar das bênçãos providenciadas pelo Salvador quando Se entregou em nosso lugar. Que glória é ser salvo!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares