01/05/2018 - OS MALES DA COBIÇA

Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

1 Timóteo 6.10

Ao entrarmos no Reino de Deus, fomos transformados. Nossa antiga vida de desejos desenfreados terminou, e ganhamos uma nova, de relacionamento com o Criador. Os nossos pecados foram perdoados, nascemos de novo, e iniciou-se um lindo processo de santificação. Precisamos ter cuidado para que a cobiça – o desejo de ter bens, dinheiro e os prazeres da vida – não ofusque a unção divina derramada sobre nós. Se formos zelosos, nosso futuro será abençoado!

Alegrarmo-nos com o que temos e estarmos conscientes de que somos mordomos de Deus são atitudes básicas que devemos tomar, para que a vontade dEle se realize em nós. A nossa estada na Terra é curta. O nosso espírito, o verdadeiro eu, jamais deixará de existir; ele depende das decisões que tomamos aqui para sermos felizes ou não eternamente. Por isso, é importante verificar se você está ou não em comunhão com o Pai.

Quando estamos bem com Deus, Ele nos dá o sustento para vivermos em paz. Essa provisão é a revelação da Palavra. Com ela, resolvemos as más situações que nos envolvem. Sem dúvida, o Pão nosso de cada dia nos será dado se meditarmos nas Escrituras. A revelação dada pelo que está escrito na Bíblia supre as nossas necessidades.

Fique atento, porque o diabo, o nosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar (1 Pe 5.8b). Uma de suas estratégias é investir contra a nossa vida, tentando-nos com as riquezas deste mundo. Ele faz isso com pobres e ricos, perdidos e salvos, santificados ou carnais, pois o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males (1 Tm 6.10a). Tendo plantado essa vontade louca em nosso coração, o pai da mentira sabe que dela surgirão diversas mazelas.

Satanás tem conseguido submergir os servos de Deus na perdição e na ruína. Não são poucos os que têm caído em adultério, foram processados como ladrões e praticantes de outros crimes. Essas pessoas se deixaram levar pelo pecado, por isso vivem como ímpias. Não queira o ilícito, e sim o necessário para ser feliz em Cristo.

Como servos de Deus, temos de fugir dessas coisas aparentemente boas, que prometem nos dar uma vida mais segura, mas, no fim, tiram-nos da luz e nos conduzem à maldade. Por que perder a sua salvação e viver como desonrado, se Cristo o chamou para o Seu mundo de dignidade, perfeição e pureza? Não saia da sua posição em Jesus. Você é importante para o plano do Senhor!

Como filhos de Deus, devemos fugir da tentação, como fez José do Egito, na casa de Potifar. Temos a unção sobre a nossa vida, por isso somos de outro time, a equipe dos vencedores. Fuja da ganância e lute a boa luta, tomando posse da vida eterna. Em todas as situações, faça a boa confissão diante de várias testemunhas.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares