04/07/2018 - DOIS FATOS OCORRIDOS

Levanta-te e vem ajudar-nos. Salva-nos por causa do teu amor.     

Salmo 44.26

A situação do povo de Deus quando esse Salmo foi escrito não era muito boa, a ponto de o salmista escrever: Por amor de ti, somos mortos todo dia (Sl 44.22). Isso tem acontecido em muitos lugares, mas, em nosso país, as perseguições por sermos de Cristo já passaram. Hoje, ao verem as maravilhas de Deus, as pessoas não salvas desejam as dádivas dEle.

O espírito infernal, cuja intenção é a destruição da Igreja, nunca se converterá. Então, de alguma forma, ele voltará a nos ameaçar. O alvo do diabo é prejudicar a obra do Senhor e, se possível, aniquilá-la. Isso só seria possível se os salvos se rendessem ao inimigo. No entanto, Jesus disse: [...] Edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela (Mt 16.18).

As pessoas mudam, mas o demônio incumbido de acabar com o povo santo não muda; ele continua usando seus lacaios para, no mínimo, barrar o progresso da Igreja. Temos de ficar apavorados com isso? Não! Sofrer ou morrer pela causa do Evangelho é uma das maiores bênçãos do Pai celestial aos Seus filhos. Ele é fiel para estar conosco!

A solução é crer que a vinda de Jesus, ocorrida séculos depois que essa palavra foi escrita, foi a primeira resposta da oração do salmista. Nas gerações passadas, houve perigos, porém o diabo jamais conseguiu prevalecer contra os tementes a Deus, nem conseguirá. O ódio dele desde o jardim do Éden o leva a nos desviar do Senhor. Alguns podem cair, mas sete mil nunca dobrarão os seus joelhos (1 Rs 19.18).

Jesus veio cumprir a Lei divina. Agora, não há mais brechas para o maligno usar em sua investida contra nós, o Corpo de Cristo. Em qualquer parte do mundo, temos de usar a autoridade recebida do Alto e paralisar a ação maligna na vida dos cristãos, independentemente da igreja a que pertençam, e na dos perdidos, os quais precisam ser salvos.

Fomos resgatados pelo Filho de Deus; portanto, não precisamos temer as investidas do Inferno. Se participamos das bênçãos adquiridas pelo Salvador em Sua morte, também é glorioso passar pelos sofrimentos! Cuidado! O diabo nem sempre irá persegui-lo para calar a sua voz, mas enviará tentações, nas quais muitos caem. Vigie e ore para você não ceder a elas.

As misericórdias do Senhor nos resgataram; no entanto, para funcionarem, devemos estar em Cristo e Ele em nós. Sem Jesus, nada podemos fazer (Jo 15.5). Por outro lado, tudo nos é possível com Ele. Então, não se chateie com as coisas ruins que lhe sucedem. Com alegria, sirva ao Altíssimo. Ele cumpre Suas promessas!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares