14/12/2018 - O SENHOR JAMAIS SE ESQUECERÁ DE NÓS

Lembra-te da tua congregação, que compraste desde a antiguidade; da tua herança que remiste, deste monte Sião, em que habitaste.

Salmo 74.2

Por causa do pecado de Adão, a humanidade ficou separada de Deus. Durante anos, o Senhor orientou as pessoas a deixarem o caminho mau e se achegarem a Ele. Então, quem Lhe deu ouvidos foi abençoado, embora vivesse em um ambiente hostil. Ao ressuscitar, Jesus atravessou a parede de separação entre os fiéis e os rebeldes e obstinados, conduzindo os Seus ao Reino de glória e amor.

Hoje, o Senhor fará o mesmo em favor de quem crê nEle, livrando-o das forças das trevas. Ao terem aceitado o Filho de Deus como Salvador, as pessoas passam a fazer parte da Sua congregação, porque foram remidas pelo sangue dEle vertido na cruz. Sendo a Sua Igreja, temos obrigação de nos comportar como Ele. 

Ao clamar a Deus que Se recordasse da congregação comprada por Ele desde a antiguidade, o salmista nos mostrou o seguinte: o Todo-Poderoso não Se esquece do Seu povo, embora, aos olhos do homem, pareça o contrário. As provações pelas quais passamos têm o objetivo de trazer à nossa memória o fato de termos o direito de rejeitar qualquer “esquecimento”. Nós nos lembramos disso, quando O lembramos.

A Igreja de Cristo não é um aglomerado de fracassados, vivendo aos pés do Onipotente e suplicando por ajuda continuamente, e sim um grupo ciente da sua posição diante das coisas. O Reino de Deus e a evangelização dos perdidos em todo o mundo foram confiados a nós. Isso só será possível se usarmos a mesma autoridade conferida a Jesus em Seus dias na Terra, realizando as Suas obras e outras ainda maiores (Jo 14.12). Glórias a Deus!

Fomos comprados por bom preço, o sangue de Cristo; logo, estamos quites com o diabo. A nossa escravidão terminou quando Jesus gritou: Está consumado (Jo 19.30). Nada mais precisa ser feito para nos tirar das garras do inimigo. Desde que Jesus deu o gritou triunfal, fomos completamente libertos da autoridade de Satanás. Agora, somos autoridade sobre ele e seus demônios, podendo desfazer os seus maus intentos!

O Rei eterno sempre nos terá em mente, porque somos a herança remida por Ele. Fala alto aos ouvidos de Deus o brado triunfante de Jesus na cruz, dado no momento em que as nossas iniquidades foram colocadas sobre Ele, bem como as nossas dores, enfermidades e o castigo que nos traz a paz (Is 53.5). Nada pode nos manter debaixo de alguma maldição. O seu momento de gritar a sua independência é agora!

A região do monte Sião é testemunha de que Jesus habitou nela. Seu corpo foi posto em um sepulcro por três dias, mas, no terceiro, após ter despido Satanás da autoridade roubada da humanidade, ao fazer Adão cair em pecado, a nossa remissão foi completada. Ali, fomos vivificados. Então, ao ressuscitar o nosso Salvador, também ressuscitamos com Ele.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares