18/06/2019 - DEPOIS DO MOVIMENTO DAS ÁGUAS

Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse. 

João 5.4

A questão da descida do anjo, real ou não, em nada influencia a doutrina do Evangelho, pois este dá ao povo a revelação da Palavra que produzirá fé nos corações. Quando ensinamos às pessoas sobre os direitos delas de serem curadas, libertas e salvas, nós as colocamos no ponto certo para receberem a bênção. Ora, Jesus fazia isso ao dizer que o indivíduo era liberto conhecendo a Verdade (Jo 8.32). A Boa Notícia é o melhor caminho!

Tenho sido usado por Deus em todos os países onde anuncio a salvação e visto o poder divino operar em favor dos aflitos todo tipo de prodígios e sinais registrados na Palavra. É lindo ser instrumento do Senhor e ver alguém em lágrimas ao contar como foi abençoado. Todos precisam ouvir as Boas-Novas para conseguirem a fé capaz de produzir as maravilhas do Altíssimo. Afinal, Ele gosta de curar, libertar e salvar todos e, sem dúvida, faz isso!

Sei que a minha ministração deve ser como o agitar das águas, para que o poder de Deus seja eficaz na vida do povo. Ao ensinar a Palavra com a força do Senhor, a fé das pessoas cresce e, então, Ele opera em favor delas. O Evangelho é o poder do Altíssimo para quem crê em Cristo e O recebe. Além disso, quando a fé é usada, os doentes são curados e libertos de seus flagelos. Na pregação bíblica, há poder de sobra!

No Evangelho, não existe competição, onde o primeiro a chegar leva a bênção. Nele, há tudo de que os sofredores precisam, mas têm de crer. Ora, esse princípio ensinado pelo Mestre deve ser seguido à risca. Se a pessoa estiver preparada, assumirá a sua posição ao lado do Senhor, porque a única condição imposta por Ele é crer para ver a glória de Deus. O que Ele disse é a verdade, por isso nunca deve ser mudado. Em Cristo, todos obtêm a vitória!

A garantia de que podemos abençoar qualquer um a quem estivermos ministrando, desde que este creia, está na primeira carta de Paulo aos Coríntios 5.21, a qual afirma: Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus. Ora, que tipo de justiça somos, se não podemos executá-la em benefício de quem não está bem e nos procura? Porém, muitas vezes, deixamos a timidez se apoderar da nossa fé, a qual se torna improdutiva. Mas, se confessarmos isso, seremos perdoados.

Propagar a Palavra com a certeza de que seremos atendidos é como agitar as águas, para que as pessoas se lancem na presença do Pai com fé e sejam libertas. Da mesma forma, devemos fazer conosco se enfrentarmos algum mal. Jesus afirmou que, se crermos, veremos a glória de Deus (Jo 11.40). Então, levante-se em Nome dEle, dê a sua ordem ao problema que o domina, mandando que saia, e, em seguida, considere-se curado.

Um anjo descia, e você sobe na presença do Senhor para tomar posse do que lhe pertence. A sua declaração em o Nome do Senhor é igual ao que Ele fazia diante dos enfermos. Ordene ao mal: “Saia agora”. Faça isso agora para que o Pai seja glorificado! 

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares